Links de Acesso

Partidos da oposição no Huambo queixam-se de falta de credenciamento de delegados

  • VOA Português

Eleitores votam em Angola

Alguns partidos da oposição continuam a queixar-se da falta de credenciamento de delegados para as assembleias de voto na província angolana de Huambo.

UNITA, CASA-CE, PRS e FNLA consideram ser difícil classificar de justa a votação por dificuldades no controlo dos votos.

O secretário provincial do PRS revelou à VOA que mais de 300 delegados do seu partido ficaram de fora da fiscalização das assembleias de voto, num universo de dois mil delegados.

Antonio Solembe disse que a justificação das autoridades não é convincente, segundo as quais, houve duplicidade de dados e por conseguinte o sistema rejeitou.

“Eles alegam duplicidade. Nós recebemos em Junho os aparelhos informáticos com alguns dados já inseridos. O que não se percebe é que este facto impossibilitou-nos de inserir de dados dos delegados de listas”, revelou Solembe.

Com este cenário os partidos da oposição entendem ser difícil acreditar nos resultados por não terem sido fiscalizados.

A UNITA revelou a sua estranheza pelo facto dessa situação acontecer apenas com os partidos da oposição.

O MPLA “não vem a público reclamar porque está tudo bem. O que nos consta é que o PRS, UNITA, CASA-CE e FNLA estão a passar por isso. O problema é a empresa SINFIC, contra a qual protestamos por estar à frente do processo”, denunciou o secretário provincial da UNITA Liberty Tchiyaka.

A VOA procurou contactar as autoridades da CNE provincial mas sem sucesso.

A província do Huambo é considerada a quarta praça eleitoral do país e conta 763.936 eleitores.

Na província foram constituídas 957 assembleias, compostas por duas mil e seis mesas de voto, que serão asseguradas por mais de 10 mil elementos, entre membros das mesas de voto, operadores e assistentes eleitorais.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG