Links de Acesso

Kwanza Sul quer participação dos empresários no desenvolvimento


Kwanza Sul quer participação dos empresários no desenvolvimento

Kwanza Sul quer participação dos empresários no desenvolvimento

Os sectores da agricultura e comércio na comuna do Gungo vão conhecer dentro de dias uma atenção especial da administração local no que tange a sua recuperação.

Os sectores da agricultura e comércio na comuna do Gungo vão conhecer dentro de dias uma atenção especial da administração local no que tange à sua recuperação.

A boa nova foi dada pelo administrador local quando procedia ao balanço dos primeiros cinco meses do ano económico 2011.

Matias Francisco disse que para a empreitada que se pretende árdua vai contar com o concurso dos amigos e naturais bem como o empresariado capacitado.

O responsável comunal lança o grito de socorro aos naturais com poder económico no sentido de ajudarem a administração na recuperação de algumas vias de acesso para possibilitar a chegada àquela localidade dos bens de primeira necessidade:

"Podemos tapar um buraco aqui, um outro aí e ainda conseguimos transpor os meios até lá e porque muitos têm medo, é um bocadinho que sai do Eval Guerra à sede mas, temos lá outros, outros estão a conseguir colocar os bens. Os motoqueiros conseguem levar um saco de açúcar, um saco de sal, conseguem pôr lá combustível em bidon. Portanto são meios que se adaptam com aquele território conseguem colocar aí as coisas naquelas lojas. Agora não basta apenas ocuparmos os estabelecimentos e não colocar nada que justifique a ocupação deste estabelecimento" - afirmou Matias Francisco.

Quanto ao sector agrícola, lançou um repto a todos quantos ocuparam áreas agrícolas, que justifiquem o objectivo pelo qual adquiriram as parcelas, caso contrário a administração local vai tomar medidas e entregar os espaços àqueles com vontade de exercerem a actividade na região.

Adiantou que "os cidadãos que ocuparam espaços, fazendas enfim... que também não deixam que os outros trabalhem porque se a gente colocar homens com um bocadinho de poder financeiro mais além da comuna, pensamos que a estrada em conjunto nós poderíamos resolver. Não é só olhar para a administração que resolve mas sim, num esforço de todos cidadãos porque todo cidadão deve se sentir como um Estado e deve fazer parte no desenvolvimento da comuna".

Matias Francisco promete tomada de medidas aos ocupantes de estabelecimentos e parcelas de terras cultiváveis cuja actividade não se faz sentir.

XS
SM
MD
LG