Links de Acesso

EUA decidem hoje a presidência, mas contagem poderá prolongar-se por vários dias


Donald Trump e Joe Biden

Eleições vão na verdade ser decididas num pequeno grupo de Estados com Pensilvânia, Florida e Carolina do Norte a jogarem papel vital

Os americanos votam nesta terça-feira, 3, nas eleições presidenciais e legislativas que, no que diz respeito à Presidência, vão na verdade ser decididas num grupo de não mais de 10 Estados do total de 50.

E desses 10, apenas cinco apresentam-se como vitais para se alcançar os 270 votos no Colégio Eleitoral que garantem a eleição .

EUA decidem hoje a presidência – 6:33
please wait

No media source currently available

0:00 0:06:33 0:00

Nada melhor atesta isso do que o facto de ontem, no último dia da campanha os dois candidatos – Donald Trump e Joe Biden –, terem feito campanha na Pensilvânia, Flórida, Carolina do Norte, Wisconsin, Michigan e Ohio.

O caminho para a vitória de Donald Trump

Para Donald Trump, é essencial que ele não perca Estados que ganhou em 2016 na chamada “cintura do sol”, (“sun belt states”, em inglês).

Jason Miller um dos dirigentes da campanha de Trump, mostra–se confiante que é isso que vai acontecer, o que tornará a vitória de Biden mais difícil.

Em declarações à cadeia de televisão ABC, Miller disse estar confiante de que “o Presidente Trump vai tornar a vencer todos os Estados da `cintura de sol` e se olharmos depois para a zona alta do chamado midwest Joe Biden tem de derrotar Trump em quatro de quatro Estados, nomeadamente Pensilvânia, Michigan, Wisconsin e Minnesota.

“Se o Presidente Trump ganhar apenas um desses Estados em três dos quatro que ganhou na última vez, será reeleito Presidente”, assegurou Miller para quem esta noite Trump poderá alcançar 290 delegados ao Colégio Eleitoral.

Miller diz que é de prever que os democratas estejam a confiar na contagem dos votos pelo correio que se deverá prolongar por alguns dias, avisando que a campanha de Joe Biden poderá recorrer a acções em tribunal para tentar alterar o resultado.

“Se você falar com muitos democratas eles acreditam que o Presidente Trump estará à frente na noite das eleições com cerca de 280 votos no Colégio Eleitoral e vão depois tentar anular isso depois”, assegurou Miller.

“Nós acreditamos que vamos ter 290 votos do Colégio Eleitoral na noite das eleições e que portanto não interessa o que possam querer fazer com acções em tribunal e outras coisas sem sentido (porque) vamos ter os votos necessários para ter o presidente Trump reeleito”, concluiu.

Mas como Miller admitiu, a vitória de Trump passa por não perder nenhum dos Estados do “sunbelt” que ganhou em 2016 e as sondagens não indicam que isso é um certeza.

Sondagens indicam Trump em perigo em Estados que venceu em 2016

As sondagens indicam que ele está atrás na Georgia embora pela margem mínima de menos de meio por cento, no Arizona também pela margem mínima de um por cento e claro o sempre muito renhido Estado da Flórida que, com os seus 29 votos no Colégio Eleitoral, não é uma certeza para Trump. Há quem diga mesmo que se Trump perde a Florida, perde as eleições.

Anita Dunn, especialista eleitoral da campanha de Joe Biden, fez notar que “todos os Estados de batalha são tudo Estados que Donald Trump venceu em 2016”, sublinhando que as sondagens indicam incerteza ou vantagem de Biden na Pensilvânia, Michigan, Wisconsin, Carolina do Norte, Flórida e Arizona.

“Se você olhar para o mapa, o que voce vê é que a campanha de Biden desde o começo destas eleições tem estado na ofensiva nesses Estados”, disse Dunn, quem sublinhou ainda que “em vez do número de Estados em luta ter diminuído, o que por esta altura é o normal, esse número na verdade expandiu e é por isso que temos uma campanha na Geórgia, Iowa, no Ohio”.

“O nosso mapa (de possíveis vitórias) expandiu à medida que nos aproximámos do dia das eleições”, acrescentou a especialista eleitoral da campanha de Biden para quem o número recorde de eleitores que se espera é também uma vantagem para Biden pois atesta que os eleitores “querem a mudança”.

Chris Christie, antigo governador republicano do Estado da Nova Jérsia, disse seu turno que a atenção nesta noite deve estar virada para dois Estados que considera essenciais para a vitória de Trump, Carolina do Norte e Pensilvânia.

“Penso que vamos ganhar na Flórida, Geórgia e Arizona mas penso que a Carolina do Norte e Pensilvânia são a principal chave da vitória para ele”, afirmou Christie para quem a via para a reeleição de Trump passa por vitórias no Arizona, Geórgia, Flórida, Carolina do Norte e Pensilvânia.

De referir que um número recorde de quase 95 milhões de pessoas votou antecipadamente e que muitos desse votos foram enviados pelo correio.

Na Pensilvânia a comissão eleitoral estadual tem três dias para contar esses votos a partir de hoje.

Christie disse que, devido a isso, duvida que os americanos saibam quem será o próximo Presidente ainda hoje e alertou para possíveis “tumultos”

“Vai ser uma luta muito renhida, não penso que vai haver uma vitória esmagadora”, afirmou Christie.

“Não penso que vamos conhecer o resultado na terça-feira à noite, particularmente devido à Pensilvânia com os métodos que tem e com o tribunal a autorizar o prolongamento da contagem por três dias desde que os votos sejam carimbados no dia das eleições e isso poderá teoricamente alterar o resultado”, concluiu

Em jogo também hoje estão os 435 lugares da Câmara dos Representantes e 35 de 100 lugares no Senado.

Os democratas deverão continuar a controlar a Câmara dos Representantes, enquanto no Senado os republicanos lutam para manter a sua maioria de 53 lugares contra 47 dos Democratas.

Em 11 Estados os eleitores vão também escolher o seu governador.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG