Links de Acesso

Afeganistão: Talibã rejeita papel militar estrangeiro na guarda do aeroporto de Cabul após saída de tropas


Aeroporto Internacional Hamid Karzai (Aeroporto de Cabul)

Segurança do aeroporto de Cabul será discutida na Cimeira da NATO em Bruxelas

O Talibã avisou no, sábado, 13, que seria "inaceitável" e um "erro" da parte de qualquer nação manter uma presença militar no Afeganistão para proteger aeroportos ou outras instalações, após a saída das tropas da NATO lideradas pelos EUA, no país destruído pela guerra.

O alerta do grupo insurgente levanta questões para Washington, outros países do mundo e grupos de ajuda com missões em Cabul sobre como evacuar, até o prazo de 11 de Setembro, com segurança o seu pessoal naquele país do sul da Ásia sem litoral.

A Turquia, com cerca de 500 soldados ainda no Afeganistão, ofereceu os seus serviços para proteger e administrar o Aeroporto Internacional de Cabul depois do prazo de retirada estabelecido pelo presidente dos EUA, Joe Biden. Ancara supostamente divulgou a proposta numa reunião da NATO, no mês passado.

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse na sexta-feira que conversas entre diferentes aliados, incluindo a Turquia, estavam em andamento sobre como garantir a segurança e a administração segura do Aeroporto Internacional de Cabul.

Mas o Talibã prometeu resistir ao envio de qualquer exército estrangeiro para o país depois de todas as forças internacionais partirem.

“A presença de forças estrangeiras sob qualquer nome ou país, na nossa pátria, é inaceitável para o povo afegão e o Emirado Islâmico [o nome do ex-governo do Talibã em Cabul]”, advertiu o grupo insurgente no sábado numa declaração política enviada aos jornalistas.

O Talibã insistiu que a segurança de aeroportos, missões estrangeiras e escritórios diplomáticos é responsabilidade dos afegãos, dizendo que “ninguém deve ter esperança de manter presença militar ou de segurança” no Afeganistão.

“Se alguém cometer tal erro, o povo afegão e o emirado islâmico os verão como ocupantes e tomarão uma posição contra eles, como tomaram contra os invasores ao longo da história”, disse o comunicado.

Stoltenberg disse que a segurança do aeroporto de Cabul e outras infraestruturas "críticas" seriam discutidas na Cimeira da NATO, na segunda-feira, em Bruxelas.

“Porque isto é importante não só para a NATO, mas… para toda a comunidade internacional, para uma presença diplomática de todos os países e, claro, também para a ajuda ao desenvolvimento e diferentes organizações de ajuda. Portanto, os aliados da NATO estão a tratar dessas questões enquanto falamos. "

Enquanto o Talibã regularmente atacava as tropas americanas e aliadas durante sua estada de quase duas décadas no Afeganistão, as forças turcas permanecem ilesas.

A Turquia é o único país islâmico na missão de apoio aesoluto não de combate da NATO, que tem o mandato de treinar, aconselhar e ajudar as forças de segurança afegãs que lutam contra os insurgentes.

A redução militar liderada pelos EUA é resultado do acordo de Fevereiro de 2020, que Washington assinou com o Talibã em troca de garantias de contraterrorismo e promessas de que o grupo negociaria um acordo político sobre a guerra com o governo afegão.

Mas o chamado diálogo intra-afegão, que começou em Setembro passado no Qatar, teve pouco sucesso, com cada lado culpando o outro pelo impasse.

As hostilidades no campo de batalha afegã se intensificaram particularmente desde que as forças estrangeiras começaram formalmente a se retirar do país a 1 de Maio.

O Talibã capturou pelo menos 15 novos distritos nos últimos dias, e centenas de combatentes de ambos os lados e civis afegãos foram mortos.

Enquanto isso, os militantes do Estado Islâmico intensificaram os ataques, visando as forças afegãs e civis, principalmente os da comunidade minoritária xiita Hazara.

As autoridades disseram que explosões de bombas no sábado atingiram dois autocarros na parte oeste de Cabul, matando pelo menos sete pessoas. Não houve reivindicações imediatas de responsabilidade.

O aumento da violência gerou receio de que o Afeganistão verá mais derramamento de sangue nos próximos meses, o que pode mergulhar o país noutro ciclo de guerra civil, assim que todas as forças internacionais partirem.

Manchetes mundo 9 Junho: Dez mortos em ataque a acampamento da Halo Trust no Afeganistão
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:04 0:00

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG