Links de Acesso

Lundas têm campanha diplomática para ganhar autonomia


José Mateus Zecamutchima, Protectorado das Lundas

José Mateus Zecamutchima, Protectorado das Lundas

Secretariado rejeita decisão de comissão parlamentar de negar autonomia

O Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe diz que vai iniciar uma campanha diplomática e dialogar com a oposição parlamentar angolana para pressionar pela sua revindicação de autonomia da região.

A decisão foi tomada numa reunião do secretariado do movimento após uma comissão parlamentar angolana ter anunciado a rejeição dos pedidos de autonomia por considerar que as fronteiras de África e consequentemente de Angola são aquelas herdadas do colonialismo e não podem ser alteradas.

O líder daquele movimento, José Mateus Zecamutchima, disse que o seu movimento rejeita categoricamente essa declaração que segundo acrescentou não representa sequer a maioria dos parlamentares angolanos.

Zecamutchima disse à Voz da América que a campanha diplomática se vai centrar nos países que assinaram tratados garantindo a independência da Lunda Tchokwe que goram depois ignorados.

Para Zecamutchima a conferência de Berlim, que resultou na divisão de África entre potências europeias não pode ser aceite porque africanos não participaram no estabelecimento das fronteiras ali acordadas.

Para além disso, representantes de muitos povos africanos não estiveram presentes na reunião da extinta Organização de Unidade Africa onde foi decidido aceitar essas fronteiras.

Os que ali estiveram presentes, disse Zecamutchima, foram africanos que “querem roubar a riqueza de outros africanos”.

Na sua campanha de consultas com partidos da oposição angolana, o movimento tinha já mantido contacto com a CASA CE.

Os partidos da oposição parlamentar tinham também sido apanhados desprevenidos pela decisão da Comissão de Relações Exteriores de rejeitar autonomia para as Lundas, disse o dirigente do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe.

O secretariado do movimento tinha também decidido lançar uma campanha intensa de mobilização interna, acrescentou Zecamutchima.

XS
SM
MD
LG