Links de Acesso

Primeiro-ministro grego cancela referendo sobre austeridade


Adeus ao Euro? - Papandreou falou aos membros do seu partido

Adeus ao Euro? - Papandreou falou aos membros do seu partido

Governo faz face a voto de confiança no parlamento Sexta-feira. Alemanha e França descontentes com planos de referendo

O primeiro-ministro grego George Papandreou disse hoje estar disposto a abandonar um referendo sobre o pacote de resgate económico caso haja um “consenso” com a oposição sobre o mesmo.

Papandreou falava a membros do seu partido um dia antes de um voto de confiança no parlamento em que a sobrevivência do seu governo stá em jogo.

Mais tarde o ministro das finanças disse qu eo plano para o referendo tinha sido cancelado.

A decisão de Papandreou segue-se a fortes pressões políticas por parte de dirigentes da União Europeia que se opuseram veementemente a um referendo na Grécia sobre o pacote de ajuda para tentar resgatar a economia grega.

A instabilidade política na Grécia dá-se ao mesmo tempo que os dirigentes do G-20 se reúnem em Cannes, na França numa cimeira em que a crise do Euro deverá ser o mais importante tópico em discussão.

A última crise surgiu depois do chefe do governo grego ter anunciado a sua intenção de levar a cabo um referendo sobre o último plano de resgate económico da Grécia.

Numa reunião de emergência de dirigentes europeus antes do início da cimeira do G 20 em França o presidente francês Nicolas Sarkozy e a chenceller alemã Angela Merkel disseram que a Grécia não receberá nem mais um cêntimo desse pacote de ajuda da União Europeia e do FMI caso não obedeça aos termos do acordo alcançado na semana a passada.

“Temos que dizer claramente que a sexta prestação só poderá ser paga quando a Grécia aceitar todas as partes da decisão de 27 de Outubro e também pôr de parte qualquer duvida suscitada pelo anúncio do referendo,” disse Merkel.

O primeiro-ministro grego defendeu a sua decisão afirmando que as condições impostas são difíceis pelo que quer apoio do povo grego para a sua aplicação .

Já hoje o primeiro-ministro grego disse a membros do seu partido estar disposto a abandonar a proposta de um referendo caso a oposição apoie o plano acordado para resgate económico do país. Em caso de consenso não terá que haver um referendo, disse Papandreou .

A decisão de Papandreou de convocar um referendo tinha provocado não só o desacordo da França e Alemanha mas também de vários elementos do governo o que faz perigar a sua sobrevivência política.

Antonio Samaras líder da oposição pediu por seu turno a formação de um governo de transição até a realização de eleições.

Papandreou teve hoje conversas telefónicas com Samaras aparentemente para tentar chegar a um consenso sobre o programa de resgate económico.

Mas o líder da oposição continuou no entanto a insistir na demissão do primeiro ministro e na realização de eleições o mais rápidamente possível.

A crise económica na Europa deverá dominar cimeira do G 20. O presidente dos Estados Unidos Barack Obama reuniu-se com a chancelar alemã e com o presidente Francês antes do início da cimeira.

Obama disse que a União Europeia tinha já adoptado importantes medidas para resolver os problemas da dívida e disse esperar que na reunião do G 20 os dirigentes dos países em desenvolvimento e dos países ricos acordem no pormenores de uma estratégia global para resolver a crise.

O porta voz da Casa Branca Jay Carney disse que os acontecimentos na Europa sublinham a necessidade da Europa se unir em redor de acções eficientes para se resolver a crise.

"O nosso objectivo é que haja unanimidade de objectivos na cimeira do G 20 que é o fórum mais importante para este tipo de discussões sobre a economia global. É obvio que a Europa é agora uma prioridade," disse

XS
SM
MD
LG