Links de Acesso

Militares dos EUA em África reavivam receio de intervencionismo


Tropas americanas em operações no Afeganistão (Arquivo)

Tropas americanas em operações no Afeganistão (Arquivo)

Especialista moçambicano, Antonio Gaspar diz que a presença militar americana no Uganda e na Etiópia confirmam a ideia

Intervencionismo americano em África

O Professor Antonio Gaspar, docente no Centro de Paz e Conflitos do Instituto de Relações Internacionais de Moçambique em Maputo, disse que o envio americano de uma centena de militares ao Uganda e a abertura de uma base aérea para aviões-drones no sul da Etiópia, são as premissas do ambicioso projecto americano AFRICOM.

Antonio Gaspar corrobora as criticas africanas sobre o intervencionismo militar americano no continente e dá razão as analises que poem a nú o carácter unilateral dessas operações militares dos Estados Unidos, nomeadamente ao nível da Somália, onde deviam reforçar o contigente das União Africana em vez de instalar uma força a partir da Etiópia.

Washington tinha anunciado há três semanas o envio de uma centena de operacionais das forças armadas para o Uganda a fim de ajudar na guerra contra o Exercito da Libertação do Senhor – LRA de Joseph Kony.

Há pouco dias a admnistração americana anunciou a abertura de uma base aérea no sul da Etiópia de onde iria operar os drones que deverão intervir nas operações militares na Somália.

Estes anúncios relançaram as preocupações sobre o intervencionismo militar americano em Africa e as consequências dessa politica criticada por lideres africanos e elite intelectual como prejudicial e susceptivel de fazer do continente mais um campo de batalha.

É sobre esses e demais outros problemas tais como o carácter tardio e disperso dessas operações assim como os limites da acção militar americana que nos fala o Professor António Gaspar,

Ouça o segmento sonoro desta página.

XS
SM
MD
LG