Links de Acesso

EUA: Presidente Obama reitera compromisso para com a defesa de Israel


Benjamin Netanyahu é o segundo líder israelita que se avistou com o presidente Obama esta semana para debater o programa nuclear iraniano. No Domingo o presidente Shimon Peres também se tinha avistado com o inquilino na Casa Branca

Benjamin Netanyahu é o segundo líder israelita que se avistou com o presidente Obama esta semana para debater o programa nuclear iraniano. No Domingo o presidente Shimon Peres também se tinha avistado com o inquilino na Casa Branca

Reunidos para debater o programa nuclear iraniano Obama disse a Benjamin Netanyahu que não descarta o uso da força contra Teerão

O presidente americano Barack Obama disse hoje ao primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu que tem um sólido compromisso de “pedra” para com a segurança de Israel, durante um encontro na Casa Branca destinado a debater vias de como prevenir o Irão em obter a bomba nuclear.

Falando aos jornalistas momentos antes do início das conversações privadas, Obama disse esperar “meses difíceis” este ano enquanto os Estados Unidos e Israel coordenam as suas respostas as actividades nucleares iranianas. O Irão tem rejeitado as informações de que esteja a prosseguir um programa nuclear militar, e adianta que as suas ambições são pacíficas.

O presidente Obama disse haver “ainda uma janela” para resolver a diplomaticamente a disputa nuclear iraniana – uma posição que tanto ele como o primeiro-ministro Netanyahu preferem. Obama reiterou contudo a sua posição de que todas as opções para travar o Irão em obter a bomba nuclear estavam sobre a mesa, incluindo o recurso a força militar.

Na véspera, durante uma conferência do Comité de Assuntos Públicos Israelo-Americanos, o presidente americano disse que os Estados Unidos usarão todos os recursos, incluindo a força militar se necessário, para prevenir que o Irão obtenha a bomba nuclear.

O presidente Obama fez um discurso misto em que associou palavras duras acerca do programa nuclear iraniano com o apelo a necessidade de dar tempo para que as sanções e os contactos diplomáticos surtam o efeito, que é o de forçar o governo de Teerão a abandonar o fabrico da bomba nuclear.

Obama adiantou que o governo israelita “não pode tolerar a bomba nuclear nas mãos de um regime que nega o Holocausto, ameaça eliminar Israel do mapa, e patrocina grupos terroristas que comprometem-se em destruir Israel.

Sublinhou ainda Obama, que enquanto presidente tem uma “profunda preferência pela paz em vez da guerra” e que usará apenas a força quando “o tempo e as circunstâncias o exigirem.”

Perante o Comité de Assuntos Públicos Israelo-Americano – AIPAC – o presidente Obama disse os líderes iranianos não devem ter dúvidas acerca da determinação dos Estados Unidos ou de Israel.

“Nós todos preferimos resolver esta questão diplomaticamente. Assim sendo, os líderes iranianos não devem ter dúvidas acerca da determinação dos Estados Unidos, assim como eles não devem ter dúvidas do direito de soberania de Israel em tomar decisões acerca das suas necessidades de segurança.”

O presidente Obama diz que não põe de fora nenhuma opção nos esforços que visam prevenir o Irão em desenvolver a bomba nuclear, e clarificou ainda mais, ao afirmar que a força militar continua a ser uma das opções em paralelo aos esforços políticos, diplomáticos e económicos em curso.

“Sim, um esforço militar a fim de estar preparado para qualquer contingência. Os líderes iranianos compreendem que a minha política não é de contenção, mas sim de prevenir o Irão em obter a bomba nuclear.”

O presidente Obama realçou que as sanções tiveram sucesso no abrandamento do programa nuclear do Irão, através de divisões no seio da classe política e na criação de obstáculos económicos, a acrescentou que Teerão poderá fazer face a sanções mais restritivas.

O presidente israelita, Shimon Peres um dos presentes na conferência, agradeceu ao presidente Obama por ser um forte amigo de Israel. Chamando o regime iraniano de “diabo, cruel e moralmente corrupto” e um perigo para Israel e o mundo, Peres disse que Israel prefere a paz mas lutará se necessário.

“Os Estados Unidos e Israel partilham o mesmo objectivo de prevenir que o Irão desenvolva a bomba nuclear. Não há parênteses entre nós. Nossa mensagem é clara: Irão não desenvolverá uma arma nuclear.”

A alocução do presidente Obama na conferência anual da AIPAC teve lugar na véspera do encontro de hoje na Sala Oval da Casa Branca com o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu que segundo fontes concordantes centrou-se em torno do Irão, e do conflituoso processo de paz israelo-palestiniano.

XS
SM
MD
LG