Links de Acesso

CPLP pronta a ajudar a Guiné-Bissau


Ministro das Relações Exteriores, George Chicoty à direita

Ministro das Relações Exteriores, George Chicoty à direita

Eleições presidenciais devem ser livres e transparentes - Ministro dos Negócios Estrangeiros de Angola

A Comunidade de Paises da Língua Portuguesa (CPLP) está empenhada em garantir a estabilidade na Guiné-Bissau de modo a permitir eleições presidenciais livres e transparentes. Isto segundo o m,inistro dos negocios estrangeiros de angola George Chicoti.

Chicoti, que preside ao Conselho de Ministros da CPLP, apelou à sociedade civil e partidos políticos guineenses que trabalhem no sentido de garantir que as eleições presidenciais do próximo dia 18 de Março sejam exemplares.

Os países da CPLP, disse ele, querem que o processo eleitoral ocorra nos termos da Constituição, e num ambiente de estabilidade e de paz.

"Convidamos toda a sociedade civil, os partidos políticos da Guiné-Bissau a trabalharem neste sentido, para fazerem um processo eleitoral exemplar, que possa dignificar não só a Guiné-Bissau, mas toda a CPLP," sublinhou.

Segundo Georges Chicoti, todos os estados membros da CPLP estão empenhados em mobilizar recursos e ajudar a criar um ambiente de paz, de estabilidade que possa permitir um processo eleitoral transparente, credível e aceitável aos olhos de todos, que garanta a estabilidade na Guiné-Bissau.

Georges Chicoti adiantou que Portugal e o Brasil já disponibilizaram ajudas para a organização das presidenciais guineenses e que Angola está a estudar a forma de participar nesse esforço.

As eleições presidenciais antecipadas realizam-se na sequência da morte por doença do Presidente Malam Bacai Sanhá, a 9 de janeiro, em França.



XS
SM
MD
LG