Links de Acesso

Religião influenciou nacionalistas angolanos

  • Pedro Dias

Rui Llena Banes - Historiador angolano

Rui Llena Banes - Historiador angolano

Missões protestantes tiveram papel fundamental na criação da consciência nacionalista

Todos os grandes líderes da luta de libertação em Angola tiveram um passado religioso algo que contém "uma certa ironia histórica", disse em Luanda o investigador Rui Llera Blanes.

Blanes fez noter que Holden Robert "foi educado nas missões Batistas", Jonas Savimbi era filho de um Pastor religioso e o próprio Agostinho Neto era filho de um Pastor Metodista.

" A ironia jaz no facto de terem sido eles e em particular os que estavam ligados ao MPLA a liderarem um projecto ateu e anti-religioso já na face da independência," acrescentou.

O investigador falava num debate organizado pela União dos Escritores Angolanos sobre “O Papel da Religião na Formação de Consciências Políticas” e acrescentou haver vários estudos que defendemque "as missões protestantes tiveram um papel fundamental nessa formação de um nacionalismo e ideal emancipatório".

O historiador concentrou a sua apresentação sobre o papel da Igreja Tocoista e o seu líder fundador, Simão Gonçalves Toco como exemplo da influencia religiosa na luta de libertação.

Enquadrada no Programa da União dos Escritores Angolanos, Maka à Quarta-Feira, o debate serviu para transmissão de conhecimentos sobre o contributo das igrejas numa tomada de posição dos africanos perante a liberdade do continente e na mudança de uma consciência pró-colonial para uma nacionalista, enraizada nas lideranças políticas de África.

O debate foi acompanhado pelo repórter Pedro Dias.

Ouça a reportagem carregando na barra azul no topo

XS
SM
MD
LG