Links de Acesso

Lubango: Mulher espcanda até à morte por dois polícias


Os dois agentes da PIR foram presos

Uma cidadã de 32 anos de idade morreu nos arredores do Lubango, depois de alegadamente ter sido barbaramente espancada por dois agentes da Polícia de Intervenção Rápida (PIR).

Os dois agentes foram presos.

Policias presos por matarem mulher à pcanda - 1:27
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:27 0:00

O caso que revoltou a sociedade local deu-se no passado dia 26 na localidade do Luyovo, na periferia do município do Lubango.

O móbil do crime agora revelado terá sido a carteira de bolso de um dos agentes da polícia, que terá desaparecido levando os polícias a acusarem Cristina Malesso do furto.

Malesso morreu depois de ter sido espancada e deixa órfãos seis filhos.

Manuel Francisco, tio da vítima, conta que o conflito partiu de um convívio.

«Partiu do convívio a senhora esteve na lanchonete junto aos Polícias de Intervenção Rápida (PIR) é por onde saiu o conflito depois da perda da pasta, disse abatido, Manuel Francisco, que condena a acção dos polícias.

"Esses agentes deram um mau exemplo porque o que nós conhecemos a polícia é para nos proteger e não é para matar», sublinhou

José Domingos Chalina e Avelino Chivela, ambos agentes de segunda classe na PIR mas que na altura se encontravam à paisana, foram alegadamente os responsáveis pelo assassinato.

O porta-voz do comando da Huíla da Polícia Nacional, Carlos Alberto, confirmou o ocorrido e condenou o comportamento dos agentes já detidos que, segundo disse, não vincula a corporação.

«Os agentes estavam à paisana em convivência”, lembrou Alberto, garantindo que "em momento algum a acção da polícia se compadece com as atitudes que os agentes tiveram".

O oficial de polícia disse ainda que foram insturados processos disciplinares e judiciais aos dois agentes da Polícia de Intervenção Rápida, que podem culminar com a expulsão dos mesmos das fileiras da corporação.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG