Links de Acesso

Isabel dos Santos fecha escritórios em Lisboa e falha pagamento de funcionários


Isabel dos Santos, empresária angolana, fotografada em Londres a 9 de janeiro 2020

A empresária angola Isabel dos Santos viu-se obrigada a encerrar permanentemente os seus escritórios em na capital portuguesa, Lisboa, depois das suas contas terem sido congeladas.

A notícia foi avançada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ na sigla em inglês), responsável pelo Luanda Leaks - a investigação que revelou a rede de negócios da filha do antigo Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, do seu marido e sócios.

A bilionária fechou permanentemente os escritórios dos seus principais negócios em Lisboa, culpando o congelamento de ativos pelo recuo das suas empresas e as perdas de empregos causadas por ele.

Um porta-voz de Santos confirmou à imprensa local o encerramento dos escritórios na luxuosa Avenida da Liberdade e a falta de pagamento de funcionários por quatro meses, renda e outras contas nos últimos meses.

O seu porta-voz não mencionou as empresas afetadas, mas o edifício abrigava a Fidequity, uma empresa de serviços de gerenciamento que desempenhou um papel central no seu império comercial, a Santoro Finance e a Santoro Financial Holdings, que detinham participações importantes em vários investimentos.

Em janeiro, os procuradores angolanos acusaram a empresária, o marido e alguns de seus associados de fraude e apropriação indébita, depois de congelarem os seus bens e alegarem que deviam mais de US $ 1 bilião ao Estado.

Mario Leite da Silva, que dirigia todas as empresas sediadas em Lisboa que fecharam recentemente, foi nomeado co-suspeito.

Candando em crise

Antes do encerramento do escritório em Lisboa, em Angola as empresas de Isabel dos Santos também vivem tempos difíceis, com a cadeia de supermercados Candando no centro da crise.

Várias empresas da empresária angolana Isabel dos Santos foram arrestadas por ordem judicial, em dezembro de 2019, e determinadas contas foram congeladas.

Em meados de junho Isabel dos Santos confirmou à VOA que a rede de supermercados Candando está à beira da falência e prepara-se para despedir cerca de 500 trabalhadores pelo fato de deixar de ter acesso aos seus fornecedores de produtos devido ao congelamento das contas bancárias da empresa em Portugal, a pedido pela Procuradoria Geral da República (PGR).

Leia mais sobre o Império de Isabel dos Santos e a investigação do ICIJ

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG