Links de Acesso

Delegações da Ucrânia e da Rússia marcam segunda ronda de negociações


Delegações da Rússia (esq) e da Ucrânia (dir) em negociações, Bielorrússia, 28 Fevereiro 2022

No terreno, apesar de continuarem a avançar em direcção a Kyiv, forças russos enfrentam muita resistência

As delegações da Ucrânia e da Rússia que iniciaram nesta segunda-feira, 28, negociações com vista a um cessar-fogo, vão realizar uma segunda ronda de conversações depois de consultas aos respectivos governos.

No primeiro dia, a delegação de Kyiv exigiu um cessar-fogo imediato e a retirada das forças russas do país.

Desconhece-se a posição de Moscovo e se a nova ronda negocial será já amanhã.

No terreno, após cinco dias de combates, os militares da Rússia não tomaram nenhuma grande cidade ucraniana, mas continuam a avançar em direcção da Kyiv, que dista a 25 quilómetros de onde se encontram actualmente.

"Os ucranianos estão a oferecer uma resistência contínua, sustentada e rígida em Kyiv e nos arredores", disse um funcionário do Governo americano que pediu o anonimato, acrescentando que os russos “estão frustrados com a falta de progresso em Kiev".

O Presidente russo, Vladimir Putin, já comprometeu quase 75% do poder de combate que a Rússia pré-posicionou em torno das fronteiras da Ucrânia para a invasão.

Vídeos divulgados nas redes sociais mostram que linhas de tanques e veículos blindados russos foram aniquilados, ao mesmo tempo que aviões de guerra e helicópteros foram abatidos.

“O espaço aéreo sobre a Ucrânia permanece contestado. Os russos não alcançaram a superioridade aérea sobre todo o país. As defesas aéreas ucranianas permanecem intactas e viáveis, tanto em termos de sistemas de defesa de aeronaves quanto de mísseis”, disse um alto funcionário de defesa dos EUA hoj

Ucrânia na União Europeia

Enquanto isso, o Presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy assinou o pedido para a adesão do seu país à União Europeia e pediu que o processo seja rápido.

Enquanto isso, o Presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy assinou o pedido para a adesão do seu país à União Europeia e pediu que o processo seja rápido.

O Parlamento Europeu pretende conceder, já nesta terça-feira, 1, à Ucrânia o estatuto de país candidato à adesão, de acordo com um projecto de resolução já acordado entre entre as principais bancadas do órgão, à luz do artigo 49 do Tratado Europeu.

A resolução vai condenar a "agressão russa contra a Ucrânia" e exortar “os Estados-Membros a acelerar o fornecimento de armas defensivas à Ucrânia".

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG