domingo, 26 abril, 2015. 22:32 UTC

Notícias / Angola

Luanda: Sonho de casa própria leva muitas pessoas a passarem noites ao relento

Deste grupo fazem parte, crianças e mulheres grávidas, que na tentativa da materialização do sonho da casa própria, arriscam a própria vida.

Agostinho Gayeta
Em Luanda, apesar da falta de informação e das incertezas sobre a continuidade das vendas, dezenas de cidadãos continuam a passar noites ao relento, há vários dias na centralidade do Kilamba, com intuito de se habilitar a aquisição de uma residência.

Deste grupo fazem parte, crianças e mulheres grávidas que na tentativa da materialização do sonho da casa própria, arriscam a própria vida e o emprego.


A Associação Justiça Paz e Democracia diz que a situação porque passam os cidadãos para aquisição de residências põe em causa a lisura do processo e configura uma negação ao direito de acesso à habitação. O gestor do projecto transparência e boa governação da AJPD,  Serra Bango, apela um esclarecimento deste processo.
O projecto habitacional da centralidade do Kilamba, no entender do Jurista Pedro Kaparakata, está a beneficiar os que já possuem residências.
O presidente do Centro de Estudos Populorum Progressio, associação cívica cultural, considera a situação um atentado grave à vida dos cidadãos. Domingos das Neves diz que o momento é oportuno para o que o MPLA partido que governa o interceda para regularizar a situação.
Neste rol de incertezas sobre a realização ou não do sonho da casa própria não estão apenas os que pretendem fazer a inscrição pela primeira vez.
Francisco António, já cumpriu com todas as formalidades e critérios para se habilitar à uma residência na centralidade do KM 44, resta-lhe apenas entregar à SONIP o comprovativo do pagamento feito à unidade bancária e receber as chaves da sua futura casa, mas lamentou a falta de informação sobre o andamento do processo.
Uma questão que muito está a preocupar alguns membros da sociedade civil é o modo de pagamento das residências, principalmente no que respeita à renda resolúvel sem capital inicial, em que os interessados são obrigados a pagar antecipadamente a renda anual da habitação que pretendem.
O Jurista Pedro Kaparakata entende que a Procuradoria-Geral da República devia levar às barras do tribunal a entidade encarregada pela venda dos apartamentos, mas manifestou alguns receios em relação a alguns órgãos judicias do país.
Ouça a reportagem do Agostinho Gayeta.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Passadeira Vermelha: Star Wars, Oprah Winfrey e filha de Whitney Houston acendem os holofotes!i
X
24.04.2015 16:24
O episódio 12 da #PassadeiraVermelha da VOA traz novidades da Oprah Winfrey, uns miminhos do Star Wars, daqueles bem bons e vamos ver quem rebentou o record de vendas de bilheteira de cinema das últimas semanas!
Vídeo

Vídeo Passadeira Vermelha: Star Wars, Oprah Winfrey e filha de Whitney Houston acendem os holofotes!

O episódio 12 da #PassadeiraVermelha da VOA traz novidades da Oprah Winfrey, uns miminhos do Star Wars, daqueles bem bons e vamos ver quem rebentou o record de vendas de bilheteira de cinema das últimas semanas!
Vídeo

Vídeo O Auxílio à morte nos Estados Unidos

Nos 18 anos da lei "Morte com Dignidade" no Oregon, cerca de 750 pessoas terminaram suas vidas com drogas letais. O medicamento também pode ser prescrito no Estado de Washington, Novo México, Vermont e Montana. Uma paciente terminal abriu o debate a outros estados
Vídeo

Vídeo Xenofobia na África do Sul

Na semana passada, a África do Sul foi tomada por ataques contra estrangeiros que moram no país. Alguns dizem que os ataques são culpa do legado do colonialismo, outros dizem que são problemas económicos da nação. Independentemente da causa, sul-africanos rezam pelo fim da violência.
Mais Vídeos