Links de Acesso

Tribunal do Reino Unido autoriza extradição de Assange para os EUA


Arquivo: Fundador do WikiLeaks, Julian Assange, a saída do Tribunal da Magistratura de Westminster, em Londres. 13 de Janeiro 2020

Um tribunal de apelação britânico abriu a porta nesta sexta-feira, 10 de Dezembro, para que Julian Assange fosse extraditado para os Estados Unidos, revogando uma decisão de um tribunal inferior que considerava a saúde mental do fundador do WikiLeaks muito frágil para resistir ao sistema de justiça criminal americano.

O Tribunal Superior de Londres decidiu que as garantias dos EUA eram suficientes para garantir que Assange seria tratado com humanidade e ordenou que um juiz de primeira instância enviasse o pedido de extradição ao secretário do Interior para revisão.

O secretário do Interior, que supervisiona a aplicação da lei no Reino Unido, tomará a decisão final sobre a extradição de Assange.

A noiva de Assange, Stella Moris, chamou a decisão de "grave erro judiciário" e disse que os advogados entrariam com um recurso "o mais rápido possível. ''

Assange, 50, está actualmente detido na prisão de segurança máxima de Belmarsh em Londres.

WikiLeaks promete revelar mais emails de Clinton
please wait

No media source currently available

0:00 0:00:42 0:00

Os EUA indiciaram Assange por 17 acusações de espionagem e uma acusação de uso indevido de computador devido à publicação do WikiLeaks de milhares de documentos militares e diplomáticos vazados.

As acusações acarretam uma pena máxima de 175 anos de prisão.

A detenção de Julian Assange remonta a 2010, quando ele publicou, através do WikiLeaks, documentos diplomáticos americanos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG