Links de Acesso

Obama comuta pena de militar que passou documentos secretos ao Wikileaks

  • Redacção VOA

Chelsea Manning tinha sido condenada a 35 anos de prisão

Portal de Julian Assange reclama vitória depois da decisão do Presidente americano.

O Presidente americano comutou nesta terça-feira, 17, a pena da ex-analista de inteligência do Exército dos Estados Unidos, Chelsea Manning, condenada a 35 anos de prisão por enviar arquivos sigilosos ao Wikileaks, disse a Casa Branca em comunicado.

Manning, antes conhecida como Bradley Manning, da Primeira Classe Privada do Exército dos Estados Unidos, nasceu homem, mas revelou após ser condenada de espionagem que se identifica como mulher.

Ela aceitou a responsabilidade pela fuga de informação quando, segundo disse, sofria por "disforia de género", enquanto estava em missão no Iraque.

Manning, que passou 700 mil documentos ao portal que tem revelado segredos militares e de segurança dos Estados Unidos, está presa numa prisão militar em Kansas e será libertada no dia 17 de Maio, quando acaba a sua nova sentença, de sete anos, agora comutada por Obama.

Há muito que várias personalidades têm condenado as condições desumanas a que Manning esteve sujeita.

Assange promete entregar-se aos Estados Unidos

Mantida durante oito meses numa solitária, foi sujeita a outras formas de tortura - como a privação de sono - e posteriormente foi-lhe negado o acesso à necessária medicamentação por causa da mudança de sexo.

Por duas vezes tentou o suicídio e chegou a fazer greve de fome.

Na passada quinta-feira, 12, o Wikieaks revelou em twitter que o fundador do grupo, Julian Assange, concordaria em ser extraditado aos Estados Unidos se Manning fosse libertada.

"Se Obama der clemência a Manning, Assange concordará com a extradição para os Estados Unidos, apesar da clara inconstitucionalidade do caso promovido pelo Departamento de Justiça", disse o WikiLeaks.

Wikileaks reclama "vitória"

Assange, que é australiano, está refugiado na embaixada do Equador em Londres desde 2012 para evitar a extradição para a Suécia por conta de acusações, que ele nega, de ter cometido estupro em 2010.

Num primeira reacção à medida de Obama, o WikiLeaks reclamou vitória.

"Vitória: Obama comutou a pena de Chelsea Manning de 35 anos para sete. Vai ser libertada a 17 de Maio", escreveu na rede social Twitter o Wikileaks.

Outro dos beneficiados foi o independentista de Porto Rico Óscar López Rivera, de 74 anos.

Rivera foi condenado em 1981 a 55 anos de prisão por conspiração para tentar depor o Governo dos Estados Unidos na ilha e em 1988 foi condenado a outros 15 anos de prisão por tentativa de fuga.

Numa das suas últimas medidas antes de deixar o poder no dia 20 de Janeiro, Obama comutou a sentença a 209 condenados e indultou outros 64.

XS
SM
MD
LG