Links de Acesso

Senadores republicanos criticam ataques de Trump à imprensa

  • Redacção VOA

Jeff Flake (esq.) e John McCain (esq)

Jeff Flake compara Presidente americano ao antigo ditador soviético Joseph Staline

Dois senadores republicanos criticaram nesta quarta-feira, 17, o Presidente Donald Trump pelos seus constantes ataques à imprensa que critica a sua administração.

Enquanto Jeff Flake usou a tribuna do Senado, John McCain recorreu ao jornal The Washington Post para publicar um artigo de opinião.

O senador pelo Estado do Arizona Jeff Flake, conhecido crítico do Presidente americano, disse que o desprezo de Donald Trump pela imprensa é semelhante ao do antigo ditador soviético Joseph Stalin.

Flake no Senado
Flake no Senado

Flake classificou os ataques de Trump contra a imprensa de “sem precedentes” e “injustificados".

"Esta é a prova do estado actual da nossa democracia de que o nosso próprio Presidente use palavras infames de Josef Stalin para descrever os seus inimigos", continuou Flake em referência a um tweet de Fevereiro de 2016, no qual Trump considerou os principais meios de comunicação dos Estados Unidos de “inimigos do povo americano".

"O despotismo é o inimigo do povo. A imprensa livre é o inimigo dos déspotas, o que faz a imprensa livre o guardião da democracia. Quando uma personalidade no poder chama a imprensa que não lhe serve de notícias falsas, o suspeito deve ser essa personalidade e não a imprensa“, acrescentou Flake.

Senador Flake compara Donald Trump a Estaline
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:31 0:00

No seu discurso, o senador disse que a questão da protecção da Primeira Emenda e da verdade remonta aos pais fundadores da nação e que "nenhum político vai dizer-nos o que é verdade ou não”.

Jeff Flake também pediu aos democratas e republicanos que se unam e se tornem "aliados da verdade".

Ele deixa o Senado este ano.

John McCain
John McCain

McCain escreve

Por outro lado, num artigo de opinião publicado no jornal The Washington Post o senador John McCain, também do Estado do Arizona, disse que as frequentes alegações de "notícias falsas" de Trump sobre a imprensa "estão a ser acompanhadas de perto por líderes estrangeiros que usam a mesma expressão para silenciar um dos principais pilares da democracia".

“Este assalto ao jornalismo e à liberdade de expressão prossegue em lugares como Rússia, Turquia, China, Egipto, Venezuela e muitos outros. Ainda mais preocupante é o crescente número de ataques à liberdade de imprensa em sociedades tradicionalmente livres e abertas, onde a censura em nome da segurança nacional está a ser mais comum”, continua McGain.

O senador lembra que, em última análise, a liberdade de informação é fundamental para que uma democracia tenha sucesso.

“Nós nos tornamos sociedades melhores, mais fortes e mais eficazes, tendo pessoas informadas e comprometidas que obrigam os decisores políticos a tomarem as melhores políticas e a respeitaram os nossos valores”, reiterou o antigo candidato presidencial republicano.

As declarações de Jeff Flake e John McCain foram feitas no dia em que o Presidente Trump tinha anunciado que tencionava revelar prémios para os meios de comunicação mais corruptos e desonestos.

Entretanto, na agenda do Presidente, não há qualquer indicação nesse sentido.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG