Links de Acesso

Secretária de Educação dos Estados Unidos demite-se


Betsy DeVos, secretária de Educação, 8 julho 2020

Betsy DeVos é o segundo membro do Governo a abandonar um dia depois da invasão do Capitólio, que levou o chefe da polícia a renunciar

Horas depois da secretária dos Transportes dos Estados Unidos, Elaine Chao, ter anunciado a sua demissão do Governo, foi a vez da secretária da Educação, Betsy DeVos, enviar uma carta ao Presidente Donald Trump a informar que deixa a Administração.

"É inegável o impacto que a sua retórica teve na situação. E, para mim, é o ponto de inflexão", escreveu a secretária de Educação na carta obtida pelo jornal "The Wall Street Journal", em que acrescentou que "as crianças estão a ver tudo isso e a aprender connosco."

DeVos, muito criticada durante a sua gestão e aliada de Trump, sai na sequência do impacto da invasão do Capitólio na quarta-feira, 6, por apoiantes de Trump.

Com esta decisão, o Governo perde dois membros no mesmo dia e 24 horas depois dos incidentes.

Antes, Diane Chao, que é esposa do líder republicano no Senado, Mitch McConnell, tinha dito na sua nota de renúncia que, após os incidentes de ontem, "houve muito exame de consciência e discussão e era obviamente a coisa certa a fazer".

Noutras esferas da Administração também houve várias demissões.

O antigo chefe da Casa Branca e actual enviado-especial de Trump para a Irlanda do Norte, Mick Mulvaney, pediu a sua demissão.

Em declarações à cadeia televisiva CNBC, Mulvaney afirmou que renuncia ao cargo e acrescentou que outros funcionários do Governo consideraram fazer o mesmo.

“Eu não posso fazer isso. Não posso ficar ”, reiterou.

Na Casa Branca, apresentaram as suas demissões, Stephanie Grisham, ex-diretora de comunicações da Casa Branca e ex-secretária de imprensa e actual chefe de gabinete da primeira-dama Melania Trump, Ryan Tully, diretor-sénior para Assuntos Europeus e Russos renunciou ao Conselho de Segurança Nacional, Matt Pottinger, vice-conselheiro de Segurança Nacional e John Costello, vice-secretário-assistente de inteligência e segurança do Departamento de Comércio.

Chefe da Polícia do Capitólo demite-se e agente ferido morre

No Capitólio, sede que alberga a Câmara dos Representantes e o Senado, depois de uma pressão de quase 24 horas, o chefe da polícia, Steven A. Sund anunciou, através de uma porta-voz, que deixará o comando da corporação no dia 16.

Durante o dia, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e o líder democrata no Senado, Chuck Shummer, avisou que, se Sund não se demitir, ele o fará quando assumir a liderança da câmara alta dentro de dias.

Entretanto, aumentou para cinco o número de vítimas mortais na sequência da invasão do Capitólio.

Um agenda da policia agredido pelos invasores morreu no hospital na noite de hoje devido aos ferimentos.

As outras vítimas foram apoiantes do Presidente Trump, sendo uma delas uma veterana da Força Aérea baleada no peito quando tentou entrar à força no edifício.

Os três demais morreram na sequência de outras complicações de saúde, mas não por tiros ou agressões.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG