Links de Acesso

Polícia recaptura 10 reclusos libertos pela Renamo

  • André Baptista

Homens armados da Renamo tinham libertado 48 reclusos na segunda-feria da cadeia aberta de Inhazonia.

A Polícia de Manica, no centro de Moçambique, recapturou 10 dos 48 reclusos da cadeia aberta de Inhazonia, distrito de Báruè, colocados em liberdade na segunda-feira, 19, durante um ataque ao estabelecimento de um grupo de homens armados da Renamo.

Elsidia Filipe, porta-voz do comando da Polícia de Manica, disse que três reclusos foram recapturados em Vanduzi e os restantes sete em Báruè, durante a fuga em busca de um esconderijo.

“No trabalho realizado pelas Forças de Defesa e Segurança, recapturamos 10 reclusos da cadeia aberta de Inhazonia, e continuamos o trabalho” precisou Elsidia Filipe, anunciando o trabalho operativo na sequencia de três ataques atribuídos a homens armados da Renamo, visando um estabelecimento prisional, uma unidade sanitária e um companhia agrícola.

Seis homens do braço armado da Renamo invadiu na madrugada de segunda-feira a cadeia aberta de Inhazonia, a norte de Báruè, facilitando a fuga de 48 reclusos, que cumpriam diversas penas.

O grupo, que não efectuou disparos, roubou neste estabelecimento prisional fardamento dos guardas prisionais, algemas e telemóveis.

Não há informação sobre desaparecimento de armas.

Um segundo ataque, na mesma madrugada, avançou a policia, visou o centro de saúde de Honde, um posto administrativo a sul de Báruè – onde está instalada uma posição militar desde o início do conflito – onde foram saqueados diversos tipos de medicamentos e equipamento clinico.

Uma terceira investida do braço armado do principal partido da oposição em Moçambique, com disparos, incidiu contra a Companhia de Vanduzi – que se dedica à produção e exportação de hortícolas para a Europa e próximo de uma posição militar - tendo roubado quatro motorizadas e vários instrumentos agrícolas.

“Osataques aconteceram na madrugada da última segunda-feira, quando assaltaram o campo penitenciário aberto e libertaram 48 reclusos e roubaram vários bens, além de introduzirem-se numa unidade sanitária de Honde e levarem medicamentos e na Companhia do Vanduzi e saquearem material agrícola e motorizadas usadas para o campo”, explicou Elsidia Filipe.

Ainda segundo a fonte policial, uma unidade das Forças de Defesa e Segurança (FDS) foi despachada para o terreno para neutralizar os grupo armado que continua a provocar instabilidade ao longo da N7, uma das principais estrada do país, que liga as províncias de Manica e Tete, e desta a diversos países do interior de África.

A Renamo ainda não reagiu.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG