Links de Acesso

Os 18 membros do partido Nova Democracia foram encarcerados injustamente, analistas


Nova Democracia, Mocambique

Analistas aplaudem a liberdade provisória concedida a 18 jovens do Partido Nova Democracia, mas dizem que as detenções nem deviam ter acontecido.

Os 18 membros do partido Nova Democracia foram encarcerados injustamente, analistas
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:30 0:00

Os jovens foram detidos a 15 de Outubro, dia das eleições legislativas, presidenciais e das assembleias provinciais, em Gaza, alegadamente por uso de credenciais falsas.

Para António Muchanga, quadro sénior da Renamo, o Governo não tem autoridade moral para prender pessoas e interroga-se "porque é que a polícia não prendeu as pessoas que circularam com boletins de voto pré-votados?".

"Houve excesso de zelo da parte das autoridades policiais, porque, na minha opinião, as detenções podiam ter sido evitadas, para o bem do processo eleitoral", afirmou o analista Francisco Matsinhe.

Por seu turno, o analista Fernando Mbanze, entende também que as detenções deviam ter sido evitadas.

"Em condições normais, aqueles jovens não deviam ter sido detidos; fala-se de credenciais falsificadas, mas em nenhum momento apareceu alguém do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral-STAE, a confirmar que aquelas credenciais eram falsas", destacou Fernando Mbanze.

Liberdade custa $12 mil

A liberdade provisória foi decidida por um juiz de Chókwè e para se concretizar o partido deverá desembolsar o equivalente a cerca de 12 mil dólares americanos, quantia que diz não ter.

No entanto, a mandatária nacional do Nova Democracia, Quitéria Guirengane, disse à Carta de Moçambique, que iniciou a procura do valor para libertar os seus membros.

“É o peso e o preço da injustiça e ilegalidade do Estado, quando um jovem de 19 anos é preso por exercer o seu direito (…) e tem que comprar a sua própria liberdade,” disse Guirengane entrevistada no programa Washington Fora d’Horas da VOA.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG