Links de Acesso

Número de vítimas dos ataques de Londres sobe para sete e governantes reagem

  • VOA Português

Polícia mantém número de feridos

Donald Trump defende a sua política migratória

A Polícia Metropolitana de Londres informou neste domingo, 4, que o número de vítimas mortais dos ataques de ontem subiu para sete.

Cressida Dick indicou que o número de feridos se mantém em 48.

Governantes de vários países reagiram aos ataques considerados de terroristas.

"Esta investigação é rápida. Quero expressar minha imensa gratidão à polícia e aos serviços de emergência que estão em cena. Nossas pensamentos estão com aqueles que foram envolvidos nesses eventos terríveis", disse a primeira-ministra inglesa Theresa May.

Donald Trump
Donald Trump

O Presidente americano, também reagiu pelo Twitter e aproveitou para defender o seu decreto que proibe a entrada de imigrantes de seis nações de maioria muçulmana nos Estados Unidos.

"Precisamos ser espertos, vigilantes e duros. Precisamos que os tribunais devolvam os nossos direitos. Precisamos de impedir a entrada de terroristas como um nível extra de segurança!", disse Donald Trump que ofereceu ajuda ao Reino Unido: "Tudo o que os Estados Unidos puderem fazer para ajudar Londres e o Reino Unido, estaremos lá. Estamos com vocês. Deus abençoe".

Michel Temer
Michel Temer

No Brasil, o Presidente Michel Temer condenou os ataques e transmitiu solidariedade aos britânicos.

"Transmito ao povo e ao Governo britânicos a solidariedade de todos nós, brasileiros. Reiteramos a nossa condenação a todo o acto de terrorismo. Voltamos nossos pensamentos para as vítimas, suas famílias e amigos”, escreveu Temer.

No Reino Unido, Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista britânico, descreveu os incidentes como "brutais e chocantes".

"Meus pensamentos estão com as vítimas e seus familiares. Obrigado aos serviços de emergência", afirmou.

Sadiq Khan
Sadiq Khan

O mayor de Londres, Sadiq Khan, também disse que os seus “pensamentos estão com todos os afectados” e agradeceu os “corajosos homens e mulheres dos serviços de emergência que estavam na cena e que vão trabalhar pela noite adentro".

"Não sabemos ainda todos os detalhes, mas esse foi um ataque deliberado e covarde contra londrinos e visitantes inocentes que aproveitavam a sua noite de sábado. Condeno isso nos termos mais fortes possíveis. Não há justificativa para actos tão bárbaros", concluiu Khan.

Bill de Blasio, mayor de Nova Iorque, reagiu dizendo que a cidade está com a população de Londres.

“Nossas orações estão com as vítimas, suas famílias e dos funcionários de emergência", escreveu no Twitter.

Ariana Grande abraça uma das vítimas do atentado de Manchester
Ariana Grande abraça uma das vítimas do atentado de Manchester

Quem também reagiu foi Ariana Grande, cantora americana que recentemente viu um espectáculo dela em Manchester terminar com a explosão de uma bomba.

"Rezando por Londres", escreveu a cantora que ontem visitou crianças feridas durante a explosão em Manchester.

A cantora realiza neste domingo, 4, um espectáculo para arrecadar fundos para as vítimas do atentado de Manchester.

Por seu lado, o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, classificou os eventos de sábado como "terríveis", enquanto o Presidente francês, Emmanuel Macron, afirmou que “diante dessa nova tragédia, a França está mais do que nunca antes ao lado do Reino Unido.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG