Links de Acesso

No Cacuso, a saúde "está mais doente"

  • Redacção VOA

Cecilia Mateus, directora municipal de Saúde no Cacuso

Apenas três médicas e 47 enfermeiros atendem o Hospital Municipal de Cacuso

A rede sanitária do município de Cacuso, na província angolana de Malanje, enfrenta um grande défice de médicos e enfermeiros para fazer face a uma densidade populacional de mais de 71 mil habitantes distribuídos pelas comunas-sede, Cacuso, Lombe, Quizenga, Pungo-A-Ndongo e Suqueco.

Apenas três médicas e 47 enfermeiros atendem o Hospital Municipal de Cacuso, um centro de saúde e 11 postos de saúde.

Municipio do Cacuso com fracos recursos hospitalares -1:55
please wait

No media source currently available

0:00 0:01:55 0:00

Na comuna de Pungo-A-Ndongo o quadro é desolador.

Os três postos de saúde erguidos com dinheiro público há mais de um ano carece de técnicos.

Um residente local que não quis dar o seu nome disse à VOA que “os postos estão fechados há um ano”.

O enfermeiro “teve que fazer uma formação na cidade de Malanje, como era único cá, com a ausência dele nãoh ouve nenhum substituto e as coisas estão como estão”.

Uma residente que também preferiu o anonimato disse que “a saúde está mais doente”.

A administradora comunal, Maria Teresa Oleque, confirmou as debilidades e disse que “três postos construídos estão também a precisar também de restauro”.

“Neste momento não temos nenhum técnico porque estão na escola média de saúde em Malanje a fazer formação, então, ficamos só a trabalhar com eles quando estão de férias”, lamentou.

No sector do Zanga, comuna do Lombe, a 47 quilómetros a oeste da cidade de Malanje, Domingos Cangamba aguarda pelo único enfermeiro para observar a sua filha acamada há já alguns dias.

“A criança está incomodada com febre, ainda não tratei por que o enfermeiro saiu, (há já) 4 dias, o (enfermeiro) não fica aqui 3 ou 4 dias”, denunciou.

A directora municipal de Saúde de Cacuso Cecília Mateus disse que o quadro de pessoal do município conta com 3 médicas e 47 enfermeiros.

“Não é suficiente para darmos a resposta a esta população, que procura os nossos serviços, neste preciso momento precisamos de mais 20 técnicos e 6 médicos por várias especialidades”, concluiu.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG