Links de Acesso

Milhares de pessoas isoladas por cheias em Malanje


Aldeias inundadas no Luquembo, Malanje

Milhares de pessoas continuam isoladas sem receber ajuda devido às inundações na província angolana de Malanje.

Camiões com alimentos, utensílios de cozinhas e outros meios já se encontram na sede de Luquembo, mas a distribuição só é possível para a comuna de Capunda e não em Cunga-Palanga e Kimbango.

O administrador municipal de Luquembo, Alcino Siabala, disse à VOA que alimentos estão a ser transportados para a comuna de Capunda “porque é a comuna que oferece melhores condições de navegação”.

Angola Alcino Siala adminsitrador do Luquembo, Malanje
Angola Alcino Siala adminsitrador do Luquembo, Malanje

Às outras comunas mais afetadas não é possível levar comida porque a estrada está cortada e depois não tem acesso ao rio Luando para se poder navegar e levar comida para essas comunas", afirmou.

"Estamos è espera de apoio aéreo, (...) temos arroz, já temos fuga de milho, temos conservas em lata, temos roupa usada, utensílios de cozinha", acrescentou.

Os campos agrícolas estão igualmente submersos, incluindo os do projeto de arroz, disse o governador de Malanje, Norberto dos Santos.

governador Norberto dos Santos em reunião sobre as cheias
governador Norberto dos Santos em reunião sobre as cheias

Nem toda a produção de arroz está submersa, verifica-se ainda algumas manchas diversas, quer dizer, que aquele arroz ainda vai sobreviver, vamos saber o que é que a chuva levou das quantidades que estavam previstas das colheitas, que foram semeadas", disse.

Os sinistrados das chuvas clamam por água potável, desinfetantes e medicamentos para acudir algumas enfermidades que surgiram nos últimos dias.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG