Links de Acesso

Imagens de centros de detenção de migrantes ilegais voltam a provocar debates e protestos


Departamento de Segurança Nacional divulga relatório sobre sobrelotação de centros

O Departamento de Segurança Nacional Autoridades dos Estados Unidos divulgou imagens que mostram a situação nos centros que abrigam imigrantes clandestinos detidos na fronteira com o México.

Salas repletas de pessoas e sem espaço para se deitarem e imagens de pessoas em estruturas semelhantes a uma jaula, por exemplo em McAllen, no Texas, voltaram a colocar no debate político e mediático a crise na fronteira com a entrada de milhares de pessoas à procura de asilo nos Estados Unidos.

No conjunto de fotos tornadas públicas na terça-feira, 2, vêem-se mulheres e crianças deitadas no chão de um prédio da Patrulha de Fronteira em Weslaco, também no Texas, onde em Maio um adolescente de 16 anos da Guatemala morreu com suspeita de gripe.

Manifestantes protestam à saída do centro de detenção em Clint, Texas, contra as condições em que crianças e adolescentes se encontram
Manifestantes protestam à saída do centro de detenção em Clint, Texas, contra as condições em que crianças e adolescentes se encontram

As imagens mostram a incapacidade das autoridades em dar uma resposta à “enchente” provocada pela fuga de milhares de latino-americanos à violência e miséria.

Por exemplo, uma das fotografias mostra uma cela com 88 homens detidos em Brownsville, numa estrutura que o próprio Departamento de Segurança Nacional diz ter capacidade para somente 41 pessoas.

O relatório divulgado pelo Departamento de Segurança Nacional mostra que o número de detenções na fronteira entre o Texas e o México ascendeu a 223.263 de Outubro de 2018 a Maio de 2019, o que representa um aumento de 124% em relação ao mesmo período no ano anterior.

O documento acrescenta que a maioria dos adultos presentes numa das imagens estava sem tomar banho mesmo passando até um mês nos centros de custódia.

A divulgação das imagens surge depois de deputados democratas terem visitado algumas estruturas do Departamento de Segurança Nacional na fronteira e feito críticas duras à forma como os imigrantes estão a ser tratados.

Eles denunciaram fotos de polícias fazendo troça dos imigrantes detidos divulgadas numa rede privada no Facebook.

O Departamento de Segurança Nacional disse ter aberto uma investigação.

Na semana passada, e depois de várias críticas feitas à polícia de fronteira, o então chefe John Sanders pediu demissão.

O Congresso aprovou um orçamento de 4,6 mil milhões de dólares para ajuda humanitária aos imigrantes ilegais detidos na fronteira.

O Presidente Donald Trump responsabiliza os democratas pela situação actual por não aprovarem a reforma da lei migratória.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG