Links de Acesso

Fome e desemprego: desafios que o Governo angolano não tem conseguido responder


Meninos de rua em Benguela, Angola

A posição do líder do MPLA sobre a fome está a causar uma onda de críticas entre os angolanos. Para falar sobre o assunto, ouvimos Carlos Cambuta, director-geral da ADRA, o economista Manuel Antunes e o analista político, Albino Pakisi.

Fome e desemprego - desafios que o governo angolano não tem conseguido responder
please wait

No media source currently available

0:00 0:21:19 0:00

O orçamento geral do estado (OGE) para o exercício económico do próximo ano volta a não convencer a maioria dos angolanos, a julgar pelas previsões do governo quanto a satisfação das necessidades vitais das famílias.

Benguela com amostras de uma "fome real", não "relativa"
please wait

No media source currently available

0:00 0:04:11 0:00

O documento foi aprovado esta semana com os votos favoráveis do partido que governa o país. A UNITA, principal partido na oposição, diz que votou contra a proposta de orçamento porque a principal prioridade do governo para o próximo ano é a dívida pública e esta não foi auditada nem certificada, representando 50% da despesa global.

O orçamento de 2022 será executado em ano de eleições gerais. O partido no poder elogia o seu governo pelos esforços que tem vindo a desenvolver para o bem-estar das populações e aponta a Covid-19 como um dos principais travões ao desenvolvimento do país.

Malanjinos admitem que muitos angolanos enfrentam fome severa
please wait

No media source currently available

0:00 0:04:01 0:00

A fome e o desemprego são desafios que o governo angolano não tem conseguido traduzir na prática os vários programas definidos e as despesas para sustentar as próximas eleições podem agravar, ainda mais, a difícil situação das famílias carenciadas.

João Lourenço nas vestes de presidente do MPLA minimizou o impacto da fome em Angola, durante o seu discurso nas celebrações de mais um aniversário do partido no poder. Esta posição do também presidente da República chocou a sociedade angolana e algumas organizações da sociedade civil, ponderam responsabilizar o estadista angolano por todas as mortes causadas pela fome extrema.

Malanje: Greve dos médicos pode colapsar hospitais de referência
please wait

No media source currently available

0:00 0:04:02 0:00

Carlos Cambuta, Director Geral da Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente, julga que João Lourenço devia fazer uma comunicação que reflectisse a situação social vigente no país.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG