Links de Acesso

Augusto Tomás continua preso depois de interrogado pela PGR em Luanda


Tomás prestou declarações na PGR

Antigo ministro dos Transportes responde por gestão danosa dos fundos do Conselho Nacional de Carregadores

A Direcção Nacional de Investigação e Acção Penal (DNIAC) da Procuradoria Geral da República (PGR) manteve a prisão preventiva do antigo ministro dos Transportes Augusto Tomás após interrogatório na manhã desta terça-feira, 9.

Ao contrário do que tinha sido avançado por fontes próximas do processo, Augusto Tomás vai continuar preso, depois de ter sido ouvido hoje, 9 de Outubro.

Outros detidos como Jean-Claude de Morais e José Filomeno dos Santos, também detidos há quase duas semanas, ainda não foram ouvidos e continuam em prisão preventiva, enquanto respondem ao processo por crimes de peculato, corrupção e associação criminosa.

Meneses Cassoma, porta-voz dos Serviços Penitenciários, disse que até ao momento não foram informados de “qualquer alteração da medida cautelar o que quer dizer que se mantém a prisão preventiva".

Augusto Tomás foi detido no dia 21 e é acusado de gestão danosa dos fundos do Conselho Nacional de Carregadores.

Leia também:

"Esta gente importante pensava que era a lei’’, diz Mota Liz a propósito das prisões em Angola

Defesa de directora do Inadec em Benguela questiona prisão e PGR ‘‘responde’’ com novos mandados

Nove senhoras presas devido a processo-crime contra antigo oficial do Interior em Benguela

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG