Links de Acesso

Angela Merkel tenta forma Governo em cenário difícil

  • Redacção VOA

Angela Merkel pela quarta vez

Entrada de partido da extrema direita no Parlamento complica as contas

A chanceler alemã Angela Merkel, que venceu as eleições legislativas de domingo, 24, por uma margem apertada, tenta encontrar aliados para formar Governo, uma missão complexa num cenário político fragmentado pelo avanço da extrema-direita, que será a terceira força do Parlamento.

Os principais líderes de seu partido, a conservadora União Cristã Democrata (CDU), reúnem-se hoje para analisar os resultados das eleições, nas quais a formação obteve 33% dos votos, acordo com os números definitivos.

A quarta vitória consecutiva de Merkel, que está no poder desde 2005, teve um gosto amargo.

Os seus aliados da União Social-Cristã (CSU) da Baviera, que desejam uma guinada de Merkel à direita, já apresentaram os primeiros sinais de contestação.

As eleições evidenciaram que parte do eleitorado conservador - um milhão de pessoas, de acordo com as pesquisas - votou no Alternativa para a Alemanha (AfD), um movimento de extrema-direita contrário ao islamismo, ao euro e à política de Merkel de receber os migrantes.

"Abandonamos a nossa ala direita e agora temos que preencher este vazio com posições decididas", disse o líder da CSU, Horst Seehofer.

O AfD obteve 12,6% dos votos após uma campanha particularmente agressiva, baseada no estilo do Presidente americano, Donald Trump, e no dos partidários do Brexit na Grã-Bretanha.

O Conselho Central dos Judeus considera que a entrada no Parlamento do partido - que deseja recuar no arrependimento ao nazismo - é o "maior desafio democrático desde 1949" para o país.

Merkel, no entanto, tem outros desafios.

Os social-democratas do SPD, com seu pior resultado em muitos anos (20,5% dos votos), decidiram abandonar a coligação que formavam com a chanceler e passar à oposição.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG