Links de Acesso

Activista denuncia mais prisões na Lunda Norte


Manifestação na Lunda Norte (Foto de Arquivo)

Manifestação prevista para sábado, 30 vai prosseguir como programada, garante o activista

Activistas ligados ao Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe disseram que à medida que se aproxima a data manifestação programa para sábado, 30, está a aumentar a repressão e há várias pessoas detidas.

Mais prisões nas Lundas – 0:51
please wait

No media source currently available

0:00 0:00:40 0:00

Prisões e buscas começaram logo após o anúncio da manifestação.

Lunga Mana, activista cívico da Lunda Norte, disse que 12 pessoas foram detidas pelas forças conjuntas das Forças Armadas Angolanas (FAA) e da Policia Nacional .

Mana disse que o movimento tinha respeitado todos os pressupostos legais.

"As forças de segurança continuam a tomar medidas contra os activistas em Capenda Camulemba, Cafunfo e Cuango", disse acrescentando que na terça-feira, 26, um jovem de 26 anos de idade foi atirado do patrulheiro policial para o chão tendo quebrado os membros superiores.

"Todos nós que ainda não fomos detidos, no próximo dia 30 de Janeiro sairemos às ruas e caberá às FAA e a polícia decidir o que vão nos fazer", assegurou Lunga Mana.

Num comunicado, o Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe afirma ainda que as localidades de Cafunfo, Cuango e Capenda Camulenga encontram-se sitiadas por forças de segurança.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG