Links de Acesso

Presidente de organização das Lundas acusa autoridades de perseguição


José Mateus Zecamutchima da Comissão do protectorado das Lundas

O presidente do Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, José Mateus Zecamutchima acusou as autoridades dessas províncias de lançarem uma campanha de intimidação para tentarem impedir uma manifestação programada para o dia 30 deste mês.

O dirigente desse movimento que luta pela autonomia daquela região acusou ainda as autoridades de violarem a lei e os direitos dos cidadãos.

Detenções nas Lundas visam intimidar activistas – José Mateus Zecamutchima 0:56
please wait

No media source currently available

0:00 0:00:56 0:00


Zecamutchima reagia à Voz da América à notícia da detenção e interrogatorio de vários militantes da organização.

Paulo Jorge Kulinua, Henrique Ylinga e Simão Mukepe forampresos na província da Lunda Norte Município do Cuango.

A manifestação, para exigir um diólogo com o governo central sobre as reivindicaçods dos habitanes das Lundas foi interdita pelas autoridaes locais ao abrigo das medidas de cobmate ao Coronavírus.

Zecamutchima disse não haver razoes para as prisões.

“Se eles já estivessem na manifestação e tivessem danificado algum bem publico seria normal, mas eles estavam em casa, por isso é que nós entendemos que há perseguição contra os membros do Movimento do Protectorado Português da Lunda Tchokwe, em função da manifestação convocada para 30 de Janeiro”, disse

Segundo Zeca Muxima na noite desta segunda-feira, 18, foram notificados mais três membros desta organização.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG