domingo, 26 outubro, 2014. 02:52 UTC

Moçambique

Moçambique vai construir a barragem de Mpanda Nkuwa sobre o rio Zambeze

A região da África Austral tem um défice energético de 4.840 megawatts e a construção da barragem de Mpanda Nkuwa vai minimizar o défice.

Simião Pongoane
Vai ser a segunda maior barragem hidroelétrica de Moçambique depois de Cahora Bassa, construída no tempo colonial, mas que só em 2007 passou a ser propriedade do estado moçambicano.

O governo moçambicano e a Nova Parceria para Desenvolvimento de África, NEPAD, estão a mobilizar 1841 milhões de euros para a construção da barragem de Mpanda Nkuwa sobre o rio Zambeze.

A nova barragem vai ser construída na província central de Tete até 2016, por sinal na mesma província onde se encontra HCB.

O empreendimento deverá produzir 1.500 megawatts de energia para consumo interno e para países da África Austral e ainda para a redução dos impactos negativos resultantes de mudanças climáticas.


A promoção do projeto está a cargo da companhia Special Purpose Vehicle contratada pelo governo moçambicano para o efeito.

A mesma companhia promove igualmente o projecto CESUL de construção da chamada espinha dorsal de transporte de energia eléctrica Tete-Maputo, avaliado em um bilião e 800 milhões de dólares norte-americanos.

As autoridades moçambicanas dizem que a região da África Austral tem um défice energético de 4.840 megawatts e que por isso a construção da barragem de Mpanda Nkuwa vai minimizar o défice.

Entretanto, o quinto aniversário da reversão da barragem hidroeléctrica de Cahora Bassa para o estado moçambicano foi assinalado esta semana com pompa e circunstância, em cerimónias de Estado que contaram com a participação do Presidente Armando Guebuza.

Os gestores da HCB dizem que a barragem registou no ano passado a maior receita desde a sua construção, sendo que o processo do pagamento a Portugal vai terminar antes do tempo previsto de 10 anos.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Galeria de fotos Em Moçambique ganha a abstenção - Veja os resultados por província

Os dados fornecidos pelo CIP revelam que dos perto de 11 mil eleitores, apenas quatro mil votaram em Moçambique


Galeria de fotos Moçambique – Eleições 2014 Dhlakama, Nyusi e Simango

Resultados provisórios Dhlakama e Nyusi votaram em Maputo. Daviz Simango votou na Beira


Galeria de fotos Galeria de fotos do ouvinte Eleições Moçambique

Fotos enviadas pelos ouvintes da VOA que nos acompanham pelo WhatsApp +1 908 652 4584



Manifesto Eleitoral do MDM

Manifesto Eleitoral da RENAMO

Manifesto Eleitoral da FRELIMO