Links de Acesso

Deputados angolanos querem saber destino dos dois activistas desaparecidos

  • Coque Mukuta

Alves Kamulingue, desaparecido a 27 de Maio de 2012

Alves Kamulingue, desaparecido a 27 de Maio de 2012

Já lá vão seis meses desde que os activistas cívicos Isaías Cassule e Alves Kamulingue foram vistos pela última vez. Até agora nada se sabe de concreto sobre o que lhes aconteceu, se estão vivos, ou se estão mortos ou desaparecidos.

Já lá vão seis meses desde que os activistas cívicos Isaías Cassule e Alves Kamulingue foram vistos pela última vez. Até agora nada se sabe de concreto sobre o que lhes aconteceu, se estão vivos, ou se estão mortos ou desaparecidos.

A situação é de total desespero e angústia para os familiares de Cassule e Kamulinge. Um desespero e uma angústia sobretudo visíveis nas faces das suas mães.

O quarto vice-presidente da bancada parlamentar do MPLA, o deputado João Pinto, questionado pela Voz da América sobre o andamento do processo dos dois activistas disse que se ao jornalista importa conhecer os resultados da investigação do caso, para a justiça ele é e deve ser “segredo de justiça”, sendo da exclusiva competência da Procuradoria-Geral da República a investigação do desaparecimento dos dois jovens.

A deputada Genoveva Lino, que preside à X Comissão da Assembleia Nacional, e que tem a seu cargo questões dos Direitos Humanos, Petições e Reclamações dos cidadãos, disse à Voz da América, sem gravar entrevista, que as famílias poderão recorrer à sua Comissão, por intermédio de uma carta, e que ela própria trataria de encaminhar o caso. Mas até ao momento as famílias não receberam qualquer carta da deputada.

Agora é a bancada parlamentar do PRS que promete actuar. O deputado Eduardo Kuangana (também presidente daquela formação política) garante que vai instar o Comandante Geral da Polícia Nacional, Comissário-chefe Ambrósio de Lemos, para se obterem informações sobre o paradeiro dos dois jovens.

“Daqui para diante chamaremos a Polícia Nacional, porque é o único órgão capaz de poder verificar todas anomalias que podem surgir na segurança do país, para explicarem o que é que se passa” disse Kuangana acrescentando:
“Vamos olhar junto do nosso grupo parlamentar para vermos como é que a coisa fica” garantiu o político.

A UNITA, através do líder da sua bancada parlamentar, Raul Danda, junta-se ao coro e diz que será dentro de dias colocada uma solicitação para interpelar os órgãos executivos competentes sobre o paredeiro de Isaías Cassule e Alves Kamulingue:

“Vamos pressionar o governo. O governo não pode dizer que não sabe onde estão os cidadãos” disse Raul Danda frisando:

“Sobretudo o ministro do Interior para que se explique onde é que andam estes cidadãos.” Questionado sobre quando a UNITA irá fazer essa petição, Danda disse que será já dentro de dias.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG