sábado, 19 abril, 2014. 04:23 UTC

Notícias / Mundo

Censura continua a assediar publicações na internet na China

Governo chinês mantem-se silêncio apesar de provas de envolvimento do partido Comunista

Agentes de segurança chineses em guarda em frente à sede do jornal Southern Weekly, no dia 7 de Janeiro
Agentes de segurança chineses em guarda em frente à sede do jornal Southern Weekly, no dia 7 de Janeiro

Multimédia

Áudio
Tamanho das letras - +
Redacção VOA
— Um debate sobre a censura do governo chinês no influente Southern Weekly (Semanário do Sul), continua a gerar discussões nos portais de internet mais populares na China.

Apesar dos esforços dos monitores em censurar a discussão, alguns proeminentes defensores da do jornal em questão, encontraram formas para enviar mensagens codificadas de apoio.

Li Chengpeng, um conhecido bloguista com mais de 6 milhões de seguidores, no Weibo, - o equivalente de Twitter chinês - comentou que os seus comentários foram duas vezes apagados pelos censuradores.

“Podem apagar a palavra, mas não a dignidade” – escreveu Chengpeng.
Outros utilizadores publicaram mensagens idênticas queixando-se que os seus comentários tinham sido “harmonizados” – uma expressão chinesa que refere a censura online de comentários sensíveis.

Mensagens como essas destacam a rigidez da censura online acompanhando o braço de ferro entre os jornalistas do Southern Weekly e as autoridades que alegadamente alteraram a mensagem do Ano Novo do jornal. O editorial, que originalmente apelava para reformas constitucionais na China foi substituído com uma peça que saudava o partido Comunista.

As alegações de censura têm causado um misto de sentimentos, com os académicos e analistas a apelaram para uma reforma radical do sistema de gestão da imprensa no país.
“O que defendemos não é apenas um jornal, mas sim o direito de liberdade de expressão para os cidadãos” escreveu um internauta em Pequim que se apresenta pelo nome de Um Mundo Verdadeiro. Adiantou ainda e passamos a citar “o que opomos não é apenas alguns membros ferozes do governo, mas um sistema repulsivo que oprimi a humanidade”, fim da citação.

Na sua contada de internet, Zheng Tingxin o editor do Southern People Weekly – Semanário do Povo do Sul, detido pela mesma proprietária do Southern Weekly, publicou uma fotografia mostrando câmaras a serem instaladas em frente ao edifício do jornal em Guangzhou.

Centenas de manifestantes concentraram-se a frente das instalações do jornal na Segunda-feira carregando flores de crisântemo e de jasmim, e placards com mensagens de apoio ao jornal em causa.

Hoje uma escaramuça irrompeu-se entre apoiantes do jornal e um pequeno grupo pro-esquerdista que empunhava posters do seu presidente Mao e mensagens de apoio ao partido comunista chinês pela defesa do Maoismo e ataques contra imprensas traidoras.

Esses slogans pro-partido comunista dão corpo as alegações feitas pela imprensa estatal segundo as quais os protestos estariam a ser orquestrados por “forças hostis estrangeiras” e que não iriam ter impacto na forma como a China gere a imprensa.
Até ao momento não houve reacções das autoridades chinesas de alegadas interferências do departamento de propaganda acerca do editorial do Ano Novo do Semanário do Sul.

Alguns observadores acreditam que o incidente poderá ter dado a liderança a oportunidade para levar a cabo os seus apelos de reforma, que vêm ganhando terreno desde que o novo líder do partido comunista, Xi Jinping tomou posse.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Sexta 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 18 de Abrili
|| 0:00:00
...
 
🔇
X
18.04.2014
Vídeo

Vídeo "Temos muitos problemas na Guiné-Bissau", Abel Incada, candidato presidencial

Os guineenses foram às urnas a 13 de Abril e estão expectantes num novo Governo de paz e estável
Vídeo

Vídeo África do Sul vai a votos a 7 de Maio

Na África do Sul, o ANC está em campanha difícil para segurar o seu domínio no Limpopo, onde ganhou 85 por cento dos votos em 2009.
Vídeo

Vídeo Pistorius está no banco dos réus e a acusação tem sido dura

Os acusadores tentaram descrever o atleta sul-africano Oscar Pistorius como egoísta e abusivo durante o segundo dia de interrogatório no seu julgamento por homicídio.
Mais Vídeos