domingo, 21 dezembro, 2014. 17:57 UTC

Notícias / Mundo

Censura continua a assediar publicações na internet na China

Governo chinês mantem-se silêncio apesar de provas de envolvimento do partido Comunista

Agentes de segurança chineses em guarda em frente à sede do jornal Southern Weekly, no dia 7 de Janeiro
Agentes de segurança chineses em guarda em frente à sede do jornal Southern Weekly, no dia 7 de Janeiro

Multimédia

Áudio
Redacção VOA
Um debate sobre a censura do governo chinês no influente Southern Weekly (Semanário do Sul), continua a gerar discussões nos portais de internet mais populares na China.

Apesar dos esforços dos monitores em censurar a discussão, alguns proeminentes defensores da do jornal em questão, encontraram formas para enviar mensagens codificadas de apoio.

Li Chengpeng, um conhecido bloguista com mais de 6 milhões de seguidores, no Weibo, - o equivalente de Twitter chinês - comentou que os seus comentários foram duas vezes apagados pelos censuradores.

“Podem apagar a palavra, mas não a dignidade” – escreveu Chengpeng.
Outros utilizadores publicaram mensagens idênticas queixando-se que os seus comentários tinham sido “harmonizados” – uma expressão chinesa que refere a censura online de comentários sensíveis.

Mensagens como essas destacam a rigidez da censura online acompanhando o braço de ferro entre os jornalistas do Southern Weekly e as autoridades que alegadamente alteraram a mensagem do Ano Novo do jornal. O editorial, que originalmente apelava para reformas constitucionais na China foi substituído com uma peça que saudava o partido Comunista.

As alegações de censura têm causado um misto de sentimentos, com os académicos e analistas a apelaram para uma reforma radical do sistema de gestão da imprensa no país.
“O que defendemos não é apenas um jornal, mas sim o direito de liberdade de expressão para os cidadãos” escreveu um internauta em Pequim que se apresenta pelo nome de Um Mundo Verdadeiro. Adiantou ainda e passamos a citar “o que opomos não é apenas alguns membros ferozes do governo, mas um sistema repulsivo que oprimi a humanidade”, fim da citação.

Na sua contada de internet, Zheng Tingxin o editor do Southern People Weekly – Semanário do Povo do Sul, detido pela mesma proprietária do Southern Weekly, publicou uma fotografia mostrando câmaras a serem instaladas em frente ao edifício do jornal em Guangzhou.

Centenas de manifestantes concentraram-se a frente das instalações do jornal na Segunda-feira carregando flores de crisântemo e de jasmim, e placards com mensagens de apoio ao jornal em causa.

Hoje uma escaramuça irrompeu-se entre apoiantes do jornal e um pequeno grupo pro-esquerdista que empunhava posters do seu presidente Mao e mensagens de apoio ao partido comunista chinês pela defesa do Maoismo e ataques contra imprensas traidoras.

Esses slogans pro-partido comunista dão corpo as alegações feitas pela imprensa estatal segundo as quais os protestos estariam a ser orquestrados por “forças hostis estrangeiras” e que não iriam ter impacto na forma como a China gere a imprensa.
Até ao momento não houve reacções das autoridades chinesas de alegadas interferências do departamento de propaganda acerca do editorial do Ano Novo do Semanário do Sul.

Alguns observadores acreditam que o incidente poderá ter dado a liderança a oportunidade para levar a cabo os seus apelos de reforma, que vêm ganhando terreno desde que o novo líder do partido comunista, Xi Jinping tomou posse.
O forúm foi encerrado
Comentários
     
Năo existem comentários. Seja o primeiro

Siga-nos

Rádio

AudioAngola Fala Só: Ao Vivo I Mp3

Sexta 16:30 - 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Seg-Qui 17:00 - 18:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sexta-feira 17:30 UTC
 

AudioEmissão Vespertina: Ao Vivo I Mp3

Sáb-Dom 17:00 - 18:00 UTC

Os Nossos Vídeos

Your JavaScript is turned off or you have an old version of Adobe's Flash Player. Get the latest Flash player.
Manchetes Africanas 19 Dezembro 2014i
|| 0:00:00
...  
🔇
X
19.12.2014 20:45
As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 19 Dezembro 2014

As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Gozar com Kim Jong Un é assunto sério

O filme " A Entrevista" com James Franco e Seth Rogen foi realizado, mas a Sony Pictures Entertainment cancelou a sua estreia. O que prometia ser um sucesso de bilheteiras para Hollywood tornou-se num pesadelo entre ameaças da Coreia do Norte aos Estados a ataques de pirataria à Sony Pictures.
Vídeo

Vídeo Presidente Obama fala aos cubanos

"Ao povo cubano, os EUA estendem a sua mão de amizade"
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 18 Dezembro 2014

As imagens noticiosas de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 17 Dezembro 2014

As imagens das noticias de Africa
Vídeo

Vídeo Manchetes Africanas 12 Dezembro 2014

As imagens das noticias africanas
Mais Vídeos