Links de Acesso

Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe denuncia prisão de seus membros

  • Armando Chicoca

Manifestação nas Lundas em Janeiro

Sumbula Sanza acusa procurador municipal no Cuando de traição

Três membros do Movimento do Protectorado da Lunda Tchokwe foram detidos, na manhã desta quarta-feira, 22, em Cafunfo, alegadamente por ordens do Procurador da República no Cuando.

A denúncia é do secretário nacional para quadros Sumbula Sanza.

A detenção de André Nzende, secretário comunal do Protectorado em Cafunfo, Kinito João, secretário municipal do movimento no Cuilo, e o seu adjunto José Castro Mwassongue, foi descrita como sendo uma traição por parte do Procurador Municipal do Cuango, Pedro Ribeiro Magalhães, segundo o secretário nacional para quadros.

Sumbula Sanza disse à VOA que os três companheiros detidos pelo procurador municipal Pedro Magalhães “faziam parte da delegação dos membros indicados pela direcção do movimento que, a pedido do magistrado do Ministério Público durante a audiência de terça-feira, 21, deviam juntar-se a outros três para, junto da procuradoria, esclarecerem os factos ocorridos aquando da manifestação de Cafunfo, no dia 4 de Janeiro.

Pedro Lucas, Movimento do Protectorado das Lundas Tchokwe
Pedro Lucas, Movimento do Protectorado das Lundas Tchokwe

Pedro Lucas, por exemplo, encontra-se detido desde o dia 4 de Janeiro, altura em que se realizou a manifestação em Cafunfo, onde participaram mais de 2.500 pessoas, segundo o movimento.

A VOA tentou ouvir Procurador do Cuango, Pedro Ribeiro Magalhães, mas sem sucesso.

A detenção dos três membros está a gerar um mau ambiente no seio das comunidades no Cuando.

XS
SM
MD
LG