Links de Acesso

Não há guerra em Cabinda, diz governadora

  • José Manuel
  • Redacção VOA

Aldina Matilde de Barros da Lomba

Aldina Matilde de Barros da Lomba

Secretário provincial da UNITA diz que "MPLA escamoteia a verdade, pois há guerra"

A governadora de Cabinda, Aldina Matilde Barros Da Lomba, desmente a existência de conflito militar na província.

Mas o secretário provincial da Unita, Estevão Pedro Neto, acusa as autoridades de não falarem a verdade.

As declarações surgem numa altura em que a Frente de Libertação do Enclave de Cabinda, FLEC, afirma terem-se registado confrontos militares no território.

A FLEC diz num comunicado que sete soldados governamentais e dois guerrilheiros foram mortos nos últimos confrontos.

Segundo a governadora, Cabinda vive um clima de paz e as notícias sobre guerra no território referem-se a “uma Cabinda que só existe nas mentes doentes onde a guerra faz morada, onde o ódio é o seu apanágio principal e onde a destruição continua a ser a meta que querem alcançar”.

Ela acrescentou que “em Cabinda não temos cenários idênticos aquelas imagens que fazem publicar nas redes sociais”.

“Há guerra e o povo de Cabinda espera pelo diálogo,” diz o secretário provincial da Unita. "O governo do MPLA tem estado a escamotear a verdade pois tem havido ataques”.

Entretanto o Fórum Cabindês para o Diálogo dá sinais de desintegração com o abandono dos seus principais dirigentes na sequência do fracasso da renegociação da atribuição de um estatuto especial para a província de Cabinda.

O general Zenga Mambo foi um dos últimos responsáveis a abandonar a organização.

Mambo, que se juntou ao governo, disse à VOA que a decisão deve-se à segurança e sobrevivência, tal como já o fizeram os seus antigos companheiros.

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG