Links de Acesso

Trovoada diz que São Tome e Príncipe não sai do TPI

  • Óscar Medeiros

Patrice Trovoada defende maior união dos africanos

Primeiro-ministro considera decisão de Trump sobre imigração de um sinal de que a África deve ter uma estratégia comum.

O primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe diz não fazer sentido a saída em bloco dos países da União Africana do Tribunal Penal Internacional (TPI).

Patrice Trovoada defende que a decisão deve caber a cada Estado membro do TPI, mas considera, no entanto, que os africanos têm de estar mais unidos na defesa dos interesses do continente.

Esta posição do Chefe do Governo são-tomense acontece em reacção ao apelo da União Africana para que os Estados membros abandonem em bloco o TPI, alegadamente por perseguição aos políticos africanos.

Patrice Trovoada considera que os países da União África são soberanos e cabe a cada um tomar a sua própria decisão de abandonar ou não o Tribunal.

Entretanto, defende a ideia de uma "África mais unida com estratégias bem concertadas entre os Estados membros com vista à defesa dos interesses do continente".

Trovoada reagiu também à decisão do Presidente americano de proibir a entrada de cidadãos de sete países nos Estados Unidos, ao dizer que "é mais um sinal para que a África fale numa só voz e tenha uma estratégia comum de actuação perante o resto do mundo".

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG