Links de Acesso

Três oficiais do SIC julgados na Huíla

  • Redacção VOA

Vice director e dois outros oficiais entre 22 acusados de desvios de combustíveis

A primeira secção do Tribunal Provincial da Huíla iniciou nesta segunda-feira, 22, o julgamento dos 28 cidadãos implicados no desvio de 122 camiões cisternas de combustíveis destinados à central elétrica da comuna da Arimba no município do Lubango.

Oficiais do SIC em julgamento na Huíla - 2:06
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:06 0:00

Entre os réus destacam-se três oficiais do Serviço de Investigação Criminal, (SIC),incluindo o director provincial adjunto, Abel Wayaha.

Os factos que envolvem maioritariamente motoristas de pesados da empresa Sociedade Tchivangulula e operadores de máquinas da empresa pública de produção de electridade (PRODEL) ocorreram entre Janeiro a Dezembro de 2016 sendo que as primeiras detenções tiveram lugar no último mês.

Na primeira sessão de julgamento que decorre no auditório da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, o Ministério Púlico fez saber na acusação que os arguidos infringiram nos crimes que vão desde o peculato, roubo, associação de mal feitores e abuso de confiança.

«Os arguidos na qualidade de motoristas contratados pela Sonangol Distribuidora deviam cumprir com o objecto do contrato e não formar entre si uma rede organizada por exemplo: Numa venda um é o vendedor e noutra é o intermediário e vice-versa e após o negócio ilícito o valor arrecadado era sempre repartido por várias pessoas em prejuízo do Estado e de toda a população, pois, com os seus actos a província da Huíla deixava de contar a 100 por cento com os serviços da ENDE e da PRODEL», disse a acusação

Na leitura da acusação a procuradora da República, Luísa Cabral, disse que os oficiais do Serviço de Investigação Criminal cometeram os crimes de peculato, concussão, tirada de presos da cadeia e subtração de coisa depositada previstos e puníveis pelo código penal angolano.

«Quantos aos arguidos Abel, Victor Duarte e Adão Domingos com o cargo que auferem e na qualidade de impulsores da investigação dos crimes derivados com o desvio causaram uma lesão com o prestígio público e a confiança que lhes fora depositadas pelo público em geral pondo em causa todo o serviço conjunto do SIC Huíla», afirmou

Dos 28 arguidos que começaram a ser ouvidos um a um pelo juiz da primeira secção do Tribunal Provincial da Huíla, Kisoka Nziku, nove encontram-se em liberdade provisória.

O desvio de combustível embora nunca oficialmente assumido pela Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade, (ENDE), é apontado como a principal razão da crise no fornecimento de luz elécrica a cidade do Lubango iniciada no primeiro trimestre de 2017.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG