Links de Acesso

Sindicato dos Professores ameaça voltar à greve em Angola

  • VOA Português

Alunos podem voltar a ficar sem aulas

Ou o Governo responde às suas reivindicações ou param no próximo ano lectivo

O Sindicato Nacional dos Professores (Sinprof) ameaça retomar a greve, suspensa em meados deste ano, se o Governo não incluir as suas reivindicações no recém-aprovado Plano Intercalar, em execução até Março da 2018.

A decisão foi tomada no último fim-de-semana pelo Conselho Nacional da agremiação sindical em reunião realizada na cidade de Caxito, província do Bengo.

Os professores filiados no Sinprof suspenderam em Maio a greve nacional para permitir a diálogo com a entidade patronal à volta da aprovação do Estatuto da Carreira Docente dos Professores Não Universitários, assim como do estatuto remuneratório visando a actualização das categorias.

Os sindicalistas advertiram que se o Executivo angolano, através do Ministério da Educação, não cumprir o que prometeu a terceira fase da greve nacional interpolada a partir de Maio passado, poderá ser decretadano início do próximo ano lectivo.

O sindicato exige ainda a implementação do subsídio de turno a partir do primeiro trimestre de 2018 e o pagamento das dívidas com o pessoal docente, remanescentes em várias províncias.

A secretária geral do Sinprof, Hermínia do Nascimento, resumiu para a VOA as conclusões do Conselho, afirmando que os professores aproveitaram o encontro para denunciar a ocorrência de perseguiçõesaos por parte dos governos provinciais.

A responsável sindical disse ainda que os professores estão abertos ao diálogo, mas que não se deixarão intimidar por quem quer que seja.

“Que cessem as perseguições sem tréguas, desencadeadas por muitas direcções e gabinetes provinciais da Educação, sob orientação dos governadores provinciais, através das quais os professores sindicalistas são transferidos compulsivamente para zonas recônditas e sem condições”, conclui Nascimento.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG