Links de Acesso

Reaqualificação do Sumbe já é visível apesar dos atrasos


Sumbe, Kwanza Sul

A educação pré-escolar parece ser o sector esquecido, particularmente as cresces para albergar o número elevado de crianças ainda sem idade escolar.

A cidade do Sumbe há muito clamava por um novo rosto.

Os habitantes viveram mais de 15 anos numa capital de província que os afligia no quotidiano.

please wait

No media source currently available

0:00 0:02:51 0:00
Faça o Download

Tal situação fez-se sentir na balança económica da cidade, sobretudo no sector de hotelaria e turismo que perdeu avultadas somas para as cidades do Lobito e Benguela, que ofereceriam melhores condições a turistas nacionais e estrangeiros.

Para inverter esta situação, o governo local engendrou um plano que começou por renovar completamente a rede de esgotos, asfaltagem das ruas, passeios e lancís.

Em pouco tempo já é visível que a cidade do Sumbe mudou de visual e constitui já uma atracção turística.

Entretanto, a empresa brasileira contratada, a Odebrecht, mostra-se lenta na execução das obras sendo, no entanto, notável a qualidade das mesmas tendo em conta os mais de 300 anos de vida da cidade.

Recentemente o governador da província Eusébio de Brito Teixeira advertiu que em 2014 serão reforçados os órgãos de inspecção e fiscalização para evitar o incumprimentos na materialização dos projectos e programas traçados.

Eusébio Teixeira fez este pronunciamento principalmente para chamar atenção dos empreiteiros no sentido de honrarem os compromissos assumidos com o Estado.

Os habitantes de Sumbe começam sentir os efeitos dos investimentos.

Os jardins e outros locais de lazer da cidade vão ganhando corpo para satisfação das crianças e adolescentes, como disseram alguns residentes à Voz da América.

Um sector esquecido parece ser o da educação pré-escolar, particularmente as cresces para albergar o número elevado de crianças ainda sem idade escolar.

As pouquíssimas existentes encontram-se em reabilitação há mais de um ano e com valores já pagos a 100%.

Pais e encarregados de educação estão preocupados com a paralisação das obras.

Segundo o Governador, o executivo provincial projecta também intervir com sanções nas obras de requalificação a acontecer nas cidades de Porto-Amboim e Gabela, onde se registam maiores atrasos na execução por parte da empreiteira Odebrecht.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG