Links de Acesso

Renamo diz que PR está a ser desautorizado pelo ministro da Defesa

  • Redacção VOA

António Muchanga que um posicionamento do PR

Porta-voz do partido afirma que exército não abandonou posições como acordado por Nyusi e Dhlakama

O porta-voz da Renamo garante que o Governo não deixou as posições militares centro do país, como acordado entre o Presidente da República e Afonso Dhlakama, e diz que Filipe Nyusi está a ser desautorizado.

As acusações foram feitas por António Muchanga nesta terça-feira, 4, em conferência de imprensa em Maputo, na qual lembrou que as Forças de Defesa e Segurança (FDS) têm mudado de um lado para outro, quando deviam ter abandonado as 26 antes de 30 de Junho, como negociado entre Nyusi e Dhlakama.

"Um Presidente da República não pode ser desobedecido pelos seus subordinados (...). Não vi o ministro da Defesa a cumprir com o que o Presidente da República lhe disse para fazer", sublinhou o porta-voz.

Muchanga contraria, desde forma, as informações doministro da Defesa de, Salvador M'Tumuke, que garantiu, no sábado, 24,que a retirada aconteceu e abrangeu oito posições que tinham sido ocupadas.

Citado pela Agência de Informações de Moçambique M´Tumuke garantiu que as posições das tropas antes da operação de busca não estão contempladas no plano de retirada.

O porta-voz da Renamo pediu ao Presidente FilioeNyusi que esclareça o que se passa e que “se há dificuldades, que se diga.

António Muchanga concouiu que "a parte que diz respeito ao presidente da Renamo está feita”.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG