Links de Acesso

Embaixador israelita Oren Rozenblat manifesta decepção e indignação ao Governo angolano.

  • Redacção VOA

Oren Rozenblat, Embaixador de Israel em Luanda

Reacção israelita a voto na ONU pode afectar cooperação com Angola.

O embaixador de Israel em Angola transmitiu na terça-feira, 27,às autoridades angolanas a indignação do seu Governo em relação ao apoio de Luanda à recente resolução das Nações Unidas que condenou a construção de colonatos na Cisjordânia e Jerusalém.

Num vídeo publicado na sua página no Facebook, Oren Rozenblat reiterou a decisão do seu país de“limitar temporariamente” os contactos oficiais com os países que apoiaram a decisão do Conselho de Segurança da ONU, entre eles Angola.

Esta decisão pode levar à suspensão de vários projectos em curso.

No post Oren Rozenblat diz que a amizade existente entre Angola e o seu país devia ser demonstrada nas Nações Unidas.

“Estamos profundamente decepcionados e indignados pela posição tomada por Angola no Conselho de Segurança das Nações Unidas”, declarou.

O diplomata israelita reconhece que a questão israelo-palestiniana deve ser resolvida através de negociações “sem condições prévias” e afirma ser “inaceitável” que os amigos do seu país levem as suas diferenças para o Conselho de Segurança.

Oren Rozenblat assegurou que durante a suspensão de contactos com os 12 Estados visados, “os ministros do Governo de Israel não visitarão estes países e o contacto com as embaixadas também serão limitados”.

Segundo o diplomata, a nova administração dos Estados Unidos terá uma abordagem completamente diferente sobre a resolução do Conselho de Segurança.

Georges Chikoti, ministro das Relações Exteriores de Angola
Georges Chikoti, ministro das Relações Exteriores de Angola

Entretanto, o Ministério das Relações Exteriores de Angola foi citado pela rádio pública, TPA, como tendo confirmado que o diplomata israelita manifestou o desagrado do seu país junto do director para África, Médio Oriente do Ministério, Joaquim do Espirito Santo.

Contudo, segundo a mesma fonte, o Governo só vai reagir quando receber a respectiva “nota verbal oficial que por regra diplomática deve ser obedecida”, documento que, supostamente, o diplomata não entregou.

Cooperação

A decisão do Governo israelita pode significar a suspensão de um investimento agrícola de cerca 370 milhões de dólares que, em Outubro último, juntou o grupo daquele país Tahal International e a empresa angolana ZRB.

Caso essa suspensão se mantiver, poderá estar em causa também o projecto agro-pecuário “Lutau Yutan Lobel”, localizado no município de Kiwaba Nzoji na província de Malanje, e que que beneficia de um crédito do Governo israelita no valor de 300 milhões de dólares.

Para além da cooperação no domínio agrícola, Israel apoia vários programas nos sectores da saúde, educação, aviação e construção civil e ainda nos domínios do diamantes, pescas, segurança, telecomunicações e formação de quadros.

A sua Opinião

Mostrar Comentários

XS
SM
MD
LG