Links de Acesso

PR analisa pedido de demissão de PM guineense

  • Redacção VOA

Umabo Sissoco Embaló, demissionário

Este é o segundo pedido de Umaro Sissoco Embaló

O Presidente da Guiné-Bissau tem entre mãos a segunda carta de demissão do primeiro-ministro Umaro Sissoco Embaló, entregue na sexta-feira, 12.

A primeira foi enviada a 6 de Dezembro, sem que José Mário Vaz se tenha pronunciado sobre ela.

Agora, acredita-se que o Presidente deve aceitar o pedido de demissão, tornado público pelo próprio Sissoco Embaló, e encetar contactos para a nomeação de um novo Chefe de Governo, 15 meses após a posse do actual demissionário.

“Meus compatriotas, irmãos e irmãs da África, da Europa, da América e da Ásia. Anuncio a minha demissão do cargo de primeiro-Ministro da Guiné-Bissau”, revelou o general Umaro Sissoco Embaló na sua página no Facebook numa mensagem em francês, na qual confirmou ter entregue a sua segunda carta de demissão.

Umaro Sissoco, o brigadeiro, especialista em mediação política internacional, defesa e cooperação

“Agradeço vivamente ao Presidente da República pela sua confiança por me ter nomeado primeiro-ministro. Também agradeço a todos os membros do Governo com quem trabalhei durante umano e 3 meses”, escreveu o primeiro-ministro cessante, reiterando que fica “sempre ligado à coligação maioritária (PRS, PCD, UPG, os 15 Deputados do PAIGC e os dois deputados da PDN)".

Mais à frente, ele diz estar “a pensar na história da Guiné-Bissau, há mais de 20 anos nunca os doadores internacionais foram satisfeitos com os resultados de um Governo”, sem, no entanto, explicitar as razões do seu pedido.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG