Links de Acesso

Paquistão: Ataque suicida mata 62 pessoas numa mesquita


Funeral das vítimas do ataque, Peshawar, Paquistão, 5 de Março, 2022

O grupo Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque

O número de mortos do ataque suicida, numa mesquita xiita, no noroeste do Paquistão, subiu para 62 durante a noite, e a polícia diz que procura identificar o homem-bomba.

A polícia também divulgou imagens de câmeras de segurança do ataque de sexta-feira (4), mostrando um homem vestido com uma túnica tradicional shalwar kameez a disparar contra dois polícias ao entrar na mesquita, na área de Kocha Risaldar, em Peshawar, a cerca de 190 kms da capital, Islamabad.

Ele detonou um colete que destruiu a mesquita lotada, momentos antes do início das orações de sexta-feira.

O grupo Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque.

"Há sete corpos irreconhecíveis, incluindo dois pés amputados que acreditamos serem do homem-bomba", disse à AFP o chefe da polícia de Peshawar, Muhammad Ijaz Khan.

"Estamos a tentar determinar a identidade do homem-bomba por meio de testes de DNA."

Foi o ataque mais mortal desde Julho de 2018, quando uma explosão num comício eleitoral matou 149 pessoas – e também foi reivindicado por um grupo associado ao Estado Islâmico.

Peshawar - a apenas 50 kms da fronteira porosa com o Afeganistão - era alvo frequente de militantes, no início de 2010, mas a segurança melhorou muito nos últimos anos.

O Paquistão, de maioria sunita, recentemente lutou contra o ressurgimento do grupo Tehreek-e-Taliban (TTB).

A explosão ocorreu no primeiro dia jogos de críquete, em Rawalpindi, entre o Paquistão e a Austrália, selecção que não visita o país há quase um quarto de século, por questões de segurança.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG