Links de Acesso

Oposição pede anulação das eleições nas Honduras


Salvador Nasralla, ao centro

Os líderes dos dois principais partidos da oposição nas Honduras pediram a anulação dos resultados da eleição presidencial ainda por resolver.

Salvador Nasralla e Octavio Pineda deram entrada em tribunal na sexta-feira a um processo de anulação das eleições realizadas a 26 de Novembro.

A contagem dos votos dava vantagem ao actual Presidente Juan Orlando Hernandez, à frente de Nasralla por uma margem de 1.6 por cento.

No início da apuração dos votos, a contagem apontava para vitória de Hernandez, mas após metade dos votos contados, Nasralla surpreendemente seguia à frente com cinco pontos de vantagem. Quando Hernandez recuperou a liderança, os apoiantes de Nasralla consideraram haver fraude na contagem.

Para Octavio Pineda a eleição deve ser anulada porque "ocorreram violações com o Presidente da República a participar no processo eleitoral, quando a Constituição assim o proíbe”

Nasralla diz que a eleição deve ser declarada nula por causa da fraude escandalosa que o seu partido descobriu.

Hernandez é o primeiro Presidente hondurenho a candidatar-se a um Segundo mandato. Ele foi eleito em 2014.

Protestos nas Honduras
Protestos nas Honduras

Recolher Obrigatório

Durante a contagem de votos, Honduras suspendeu alguns direitos constitucionais e impôs um recolher obrigatório de dez dias, das 6 da manhã às 6 da tarde, dando às forças de segurança quaisquer poderes necessários para controlar as manifestações pós eleições.

A Amnistia Internacional disse na sexta-feira que o governo hondurenho “está a adoptar uma táctica perigosa e ilegal ao silenciar vozes dissidentes, em consequência de uma das piores crises políticas do país numa década, incluindo proibir advogados e activistas de direitos humanos de visitar manifestantes detidos”.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG