Links de Acesso

Novo ano escolar, o velho problema da "venda de vagas" nas escolas em Angola


Sala de aula em Angola

Pais denunciam preço de até 300 mil kwanzas por uma vaga em Luanda.

O Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA) e encarregados de Educação denunciam a venda de vagas nas escolas do ensino médio em Luanda, enquanto estudantes pedem a presença do Serviço de Investigação Criminal (SIC) nas escolas.

Entretanto, o Ministério da Educação impõe o limite de 36 alunos por turma, o que vai aumentar ainda mais o número de estudantes que ficam fora do sistema de ensino.

Estudantes e encarregados de educação dizem que a venda de vagas podem chegar a 300 mil kwanzas e os pais afirmam não haver bolso que aguente.

"No Kilamba, na escola pública nada de vaga, aqui no IMS estão a pedir 300 mil kwanzas por vaga, outro filho foi ao IMEL pediram 250 mil kwanzas, onde vou parar? Tu chegas lá e dizem que não há vaga, mas se mexeres no bolso e tiveres 300 mil kwanzas a vaga aparece rápido", afirma um encarregado de educação.

Manuel Mazanga, da Associação de Pais e Encarregados de Educação, diz que tem que pagar quase um milhão de kwanzas para ter os filhos na escola, mas “não há como”.

O MEA afirma ter feito chegar uma queixa à polícia de investigação, mas sem qualquer resposta.Francisco Teixeira, do MEA, denuncia a incapacidade do Executivo para combater o mal.

"O Governo não consegue combater isso nas escolas e diz que está a combater a corrupção, como? Nas escolas, o número de crianças que vai ficar de fora cresce todos os dias", revela Teixeira.

E para agravar ainda mais a situação dos alunos que têm dificuldades em entrar no sistema de ensino, a ministra da Educação publicou uma circular que proíbe as escolas de ter mais de 36 estudantes numa sala de aula.

Francisco Teixeira considera a medida de "despropositada" e diz não compreender “o que o Estado quer com a formação dos pobres, porque com a escassez de vagas ainda limita o número, o que vai aumentar ainda mais o universo de crianças fora da escola".

Dados oficiais apontam para perto de três milhões de pessoas fora do sistema de ensino por falta de vagas em Angola.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG