Links de Acesso

"Negaram-me o visto por eu ser pobre", diz Rafael Marques


Rafael Marques

Activista e jornalistas angolano viu negado o visto para visitar o filho no Canadá

A Embaixada do Canadá na África do Sul negou o visto de entrada ao activista e jornalista angolano Rafael Marques, que pretendia visitar o filho que vive naquele país da América do Norte.

Marques diz respeitar a decisão do Canadá, mas afirma que a única causa que ele vê pela recusa é o facto de ele não ter bens.

Uma porta-voz do Departamento Federal de Imigração do Canadá, Beatrice Fenelon, citada pelo jornal canadiano The Globe & Mail, justificou a recusa dos serviços migratórios com a probabilidade de Rafael Marques pretender viver ilegalmente no Canadá, onde residem o seu filho e a sua esposa.

A mesma acrescentou que Marques tem "acusações criminais pendentes" em Angola.

Marques, que queria visitar o seu filho, afirma que o Estado canadiano lhe negou o visto por ser pobre.

“Praticamente, negaram-me o visto por eu ser pobre, ou seja alegam não ter propriedade no Canadá”, revela à VOA.

Rafael Marques afirma respeitar a decisão do Canadá, mas adianta que vai ter de encontrar-se com filho noutro país.

“Respeito e vou ter que comprar um bilhete para o meu filho para um outro país como Estados Unidos, o que me custa mais”, sublinha.

O jornalista e activista angolano recebeu o prémio Allard para a Integridade Internacional, instituído em 2013, pela universidade canadiana de British Columbia (UBC), no valor de 50 mil dólares, considerado como uma das maiores distinções mundiais para activistas que combatem a corrupção e defendem os Direitos Humanos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG