Links de Acesso

Navalny descreve seu novo julgamento como "paródia de justiça"


Esquadra em Mosocovo onde se encontra Navalny a ser julgado (18 Janeiro 2021)

O líder da oposição russa Alexei Navalny disse nesta segunda-feira que o seu tratamento é mais do que uma "paródia da justiça", já que ele foi levado a um tribunal organizado à pressa um dia após a sua dramática prisão no aeroporto.

Enquanto cresce a pressão e os pedidos por parte do Ocidente para a libertação de Navalny, ele foi levado a um tribunal instalado em uma esquadra de polícia em Khimki, nos arredores de Moscovo, para onde foi levado após a sua detenção na noite de domingo.

A polícia prendeu Navalny, o opositor mais proeminente do presidente Vladimir Putin, em um posto de controle de fronteira no aeroporto de Sheremetyevo, em Moscovo, menos de uma hora depois dele regressar da Alemanha para a Rússia, pela primeira vez desde que foi envenenado por um agente nervoso em Agosto.

Em um vídeo postado pela sua equipa presente na audiência, um incrédulo Navalny disse que não entendia como uma sessão de tribunal poderia acontecer em uma delegacia de polícia e por que ninguém havia sido notificado até o último minuto.

“Já vi muita zombaria da justiça, mas o velho no bunker (Putin) está com tanto medo que rasgou descaradamente e jogou fora” o código penal da Rússia, disse Navalny.

"Isso é a ilegalidade máxima."

'Incrível absurdo'

Em outro vídeo, Navalny pediu que a audiência fosse aberta a todos os jornalistas, depois que apenas a mídia pró-Kremlin pode comparecer. “Exijo que esse procedimento seja o mais aberto possível, para que toda a mídia tenha a oportunidade de observar o incrível absurdo do que está a acontecer aqui”, disse.

Cerca de 100 pessoas, a maioria jornalistas, reuniram-se à pporta da esquadra e várias carrinhas da polícia encontravam-se paradas nas proximidades com os motores ligados.

O serviço penitenciário russo FSIN disse no domingo que deteve Navalny, 44, por violar os termos de uma sentença suspensa que recebeu em 2014, sob acusações de fraude que, segundo ele, tinham motivação política. Navalny também enfrenta possíveis novas acusações criminais com base numa investigação lançada no ano passado em que é acusado de desviar de mais de 4 milhões de dólares em doações.

Navalny o principal crítico do Kremlin surgiu há uma década com a Fundação Anticorrupção publicando investigações anti-corrupção que frequentemente revelam o estilo de vida luxuoso da elite russa. Ele liderou repetidamente protestos de rua em grande escala contra Putin, mais recentemente no verão de 2019, e preparava-se para outro desafio às autoridades durante as eleições para a Câmara dos Deputados Duma em Setembro.

Seria evacuado para a Alemanha depois de ficar gravemente doente num vôo em Agosto, do que os especialistas ocidentais concluíram ter sido um envenenamento com o agente nervoso Novichok, projetado pelos soviéticos.

Navalny acusou Putin de ordenar o ataque, uma afirmação que o Kremlin nega veementemente. A polícia russa não abriu uma investigação citando a falta de provas.

A sua prisão no domingo foi largamente condenada pelo Ocidente, com Estados Unidos, União Europeia, França e Canadá e as Nacōes Unidas a pedirem a sua libertação.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG