Links de Acesso

Moçambique pode perder base de receitas com a Zona de Livre Comércio Continental


Filipe Nyusi assinou o tratado em Kigali

Economista defende que o país deve proteger a sua indústria

Moçambique pode vir a perder a sua base de receitas com a sua entrada na Zona de Livre Comércio Continental se não proteger a sua indústria.

Moçambique pode perder base de receitas com a Zona de Livre Comércio Continental
please wait

No media source currently available

0:00 0:02:59 0:00

O acordo que prevê lançar a Zona de Livre Comércio Continental foi assinado esta semana, em Kigali, Rwanda, pelo Presidente moçambicano, Filipe Nyusi.

Analistas afirmam que, normalmente, a abertura ao comércio beneficia os consumidores, uma vez que há um conjunto de bens que entram no país isentos de tarifas.

Mas o economista Constantino Marrengula entende que esta abertura também exerce pressão sobre as empresas domésticas a melhorarem a sua eficiência, numa perspectiva de longo prazo.

Para aquele especialista, o problema da integração é que em África, os países não são homogéneos do ponto de vista de desenvolvimento.

Ele lembra que existem a África do Sul, o Quénia, o Egipto e a Nígéria com economias relativamente desenvolvidas, que podem sufocar as economias mais fracas.

Constantino Marrengula sublinha que Moçambique e outros países africanos atrasados têm que estar preparados para pagar os custos da integração e devem transferir alguns recursos para amortecer os impactos negativos desta iniciativa, nomeadamente, o desemprego e a perda de receitas.

Entretanto, para o ministro moçambicano dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, José Pacheco, este acordo traz muitas ventagens.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG