Links de Acesso

Antigo ministro moçambicano vai a julgamento acusado de abuso de funções

  • Redacção VOA

Ministro pagou viagem de três pessoas a Meca

Abduremane Lino de Almeida pagou viagem a Meca a três pessoas sem vínculo com o Estado

O Tribunal Judicial do Distrito Municipal KaMpfumu, na cidade de Maputo, marcou para 31 de Maio o início do julgamento do antigo ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Abduremane Lino de Almeida, acusado de crimes de abuso de funções e de pagamento de remunerações indevidas enquanto assumia o cargo.

O jornal Notícias revela na sua edição desta terça-fiera, 23, que o ex-governante é acusado pelo Gabinete Central de Combate à Corrupção (GCCC) de pagamento indevido a pessoas que não têm qualquer vínculo com o Estado, num valor que ascende um milhão e 780 mil meticais, cerca de 28 mil dólares no câmbio actual.

O referido montante terá sido pago a três cidadãos oriundos das províncias de Cabo Delgado e Nampula, das relações do ex-ministro, que viajaram para a cerimónia religiosa que acontece anualmente em Meca, na Arábia Saudita.

Os referidos beneficiários viajaram e permaneceram 21 dias em Meca, a expensas do erário público, facto que configura violação à lei, de acordo co a acusação.

Lino de Almeida tomou posse como Ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos em Janeiro de 2015, tendo sido exonerado do cargo em Março de 2016, numa altura em que o GCCC já estava a investigar os crimes.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG