Links de Acesso

Irão acusa Estados Unidos e "regime estrangeiro" de ataque contra parada militar


Vitimas do ataque

Pelo menos 29 pessoas morreram. Irão promete "resposta esmagadora"

O líder supremo do Irão o Ayatollah Ali Khamenei acusou “fantoches dos Estados Unidos” de serem responsáveis por um ataque contra uma parada militar em que 29 pessoas foram mortas e disse às forças de segurança para levarem os responsáveis à justiça.

Por seu turno o presidente do Irão, Hassan Rouhani, prometeu uma “resposta esmagadora” contra os responsáveis.

A maior parte dos mortos são membros da Guarda Revolucionária mas entre as vítimas contam-se também mulheres e crianças.

O “Estado Islâmico” e uma organização autodenominada “Movimento de Luta Árabe pela Libertação de Ahvaz” reivindicaram responsabilidade pelo ataque que ocorreu na cidade de Ahvaz no sudoeste do país.

A cidade de Ahvaz está situada no Khuzestão, uma província que faz fronteira com o Iraque onde reside uma grande comunidade árabe e onde se tem registado violência separatistas que o Irão diz ser de responsabilidade de rivais regionais.

“A resposta da República Islâmica do Irão contra a mais pequena ameaça será esmagadora”, disse a declaração de Rouhani publicada na internet depois do presidente assistir a uma parada militar semelhante aquela onde se deu o ataque e que serviu para assinalar o começo da guerra com o Iraque entre 1980 e 1988.

Entidades oficiais foram o alvo do ataque
Entidades oficiais foram o alvo do ataque

O ministro dos negócios estrangeiros iraniano Mohammad Javad Zarif disse que o ataque perto da fronteira com o Iraque foi levado a cabo por “terroristas recrutados, treinados, armados e pagos por um regime estrangeiro”.

“O Irão responsabiliza os patrocinadores de terrorismo e os seus patrões dos Estados Unidos pelos ataques do género”, escreveu o ministro na sua conta no Twitter.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG