Links de Acesso

Hong Kong: Sindicato desmantelado à medida que lei de segurança se intensifica


Estátua da Justiça no Tribunal da Apelação em Hong Kong

O maior sindicato independente de Hong Kong desfez-se neste Domingo, 3 de Outubro, alimentando ainda mais as preocupações sobre o espaço para grupos da sociedade civil uma vez que a lei de segurança nacional e os amplos poderes que ela dá à polícia sufoca a dissidência no centro financeiro global.

Fundada em 1990, os 145 mil membros da Confederação de Sindicatos de Hong Kong (HKCTU) votaram pela dissolução, encerrando a organização, pois as autoridades exercem maior controle sobre os grupos e sindicatos no centro de negócios.

Enquanto os protestos anti-governamentais em 2019 geraram uma nova onda de activismo trabalhista em Hong Kong e desencadearam um salto de 35% nos sindicatos registados, os grupos estão a esforçar-se para se separar desde que Pequim impôs a lei de segurança no ano passado.

O medo de violar a lei e de enfrentar a prisão perpétua fez com que pelo menos 29 sindicatos se dissolvessem desde o início deste ano, de acordo com uma contagem da Reuters.

O vice-presidente da HKCTU, Leo Tang, disse que membros do grupo receberam ameaças à sua segurança pessoal, sem dar mais detalhes.

A líder de Hong Kong, Carrie Lam, negou que o governo esteja a realizar uma repressão à sociedade civil, e as autoridades dizem que todas as acções de aplicação da lei foram baseadas em evidências e não têm nada a ver com as crenças políticas dos presos.

Fórum Facebook

XS
SM
MD
LG